SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

sábado, 31 de outubro de 2009

AS VELHAS - GUERRAS DO CAVACO E DA LAGOSTA





























Caríssimas, caríssimos,

Desculpem introduzir na "dança" - que tenho preparado, seguido e mantido com muito interesse, agrado e atenção, qual tia sentada à volta do salão onde decorre o bailarico, a função - a brejeirice que se segue.
Servirá para desanuviar um pouco o ambiente carregado de dor, amor, sabença e profundidade, e para desta forma singela prestar a minha homenagem aos ilustres visitantes do meu blogue, que fazem o favor de, para além de aturarem as minhas diatribes, ser meus amigos. As velhas são uma moda da Ilha Terceira. Brejeira, atrevida, picante quanto baste, é geralmente cantada ao desafio nos arraiais, onde de forma engraçada, se vão cantando as agruras e as alegrias da vida.
Um abraço para todos.
P.S. O cavaco é um marisco (o grande dicionário da língua portuguesa apresenta-o como «peixe do mar dos Açores», primo afastado da lagosta, meio adocicado, sensaborão, apanhado com frequência no mar dos Açores. Há quem goste: Eu prefiro, de longe, a lagosta. Só que esta é muito mais cara. Por isso, à falta de melhor, lá se vai trincando o cavaquinho de vez em quando. Que remédio!

AS VELHAS

GUERRAS DO CAVACO E DA LAGOSTA
(à moda da Terceira)


Há um marisco no mar
Que só serve para enganar
Os incautos e glutões.
Há quem diga que até gosta
Mais dele que de lagosta,
Mas nada de confusões.
Só quem tem gosto estragado
Ou quem delire de febre
Se sentirá confortado
A comer gato por lebre.

Agridoce, meio insonso,
Cara de pau, olhar sonso,
Quem havera de dizer
Que viria a ser proposto
Como prato de bom gosto
Para em Belém se comer.
A quem aprecia e gosta
De produtos a pataco
Direi que meia lagosta
Vale mais que um cavaco.

Baço, obscuro, opaco,
Foi sempre assim o cavaco,
Marisco sensaborão.
Quando se sente acossado
Tenta passar disfarçado
Ou se arma em sabichão.
Petulante, sem estofo,
Um convencido de truz.
De pensamento balofo,
Mestre em criar tabus.

O cavaco, vejam bem,
Deu em pensar que em Belém
Tinham montado um radar.

Ficou cheiinho de medo
Que escutem algum segredo
Que não queira revelar.
Eriçado, entrou logo,
Contra todos em disputa
E a largar forte fogo
Contra os filhos da escuta.

A lagosta, avermelhada,
Afirmou não haver nada
Mas sempre lhas foi cantando:
Cavaco, toma juízo
Senão - sou eu que te aviso -
És cozido em lume brando.
Cavaco baixou a crista,
Acabou por afirmar
Que a lagosta sacrista
Voltasse a governar.

E ela vai governar,
Já se habituou a mandar
Seja nos ares, seja em terra.
No mar então nem se fala!
Se quiserem apanhá-la,
Vão ter luta, vão ter guerra
Do alecrim, da manjerona,
Do cão, do gato e do rato,
Guerra da uva mijona
Que se vende ao desbarato.

Meus senhores, dêem-se bem!
Cavaco, vá para Belém,
Onde é apreciado!
Lagosta, vá para São Bento
Que é santo de sustento
E de gosto requintado!
Se cada um no seu posto
Não cuidar da sua vida,
Ou o cavaco é deposto
Ou a lagosta é comida.

FIM

20 Comentários:

  • Às 31 de outubro de 2009 às 23:49 , Blogger Osvaldo disse...

    Caro irmão;

    Eu, como povo que sou e é do povo que eu venho, nem Cavaco, nem Lagosta e na falta de Bacalhau na Telha,... fico-me pela nossa nobre e lusitana Sardinha que tantas leais bocas do Nobre Povo alimentou.

    Um abraço, irmão e bjs aí em casa;
    da Ana e Osvaldo

     
  • Às 31 de outubro de 2009 às 23:54 , Blogger José Guilhereme disse...

    E viva a Sardinhada!
    Estou contigo.
    Antes a sardinha e o bacalhau que cavaco e lagosta. São saborosos e muito mais acessíveis.
    Um abraço, irmão.
    André Moa

     
  • Às 1 de novembro de 2009 às 00:59 , Blogger Je Vois la Vie en Vert disse...

    Lagosta, bacalhau, sardinha, gosto de todos.

    Só não gosto de orelhas ( boatos...), focinhos ( meter o nariz onde não se é chamado...), rabos (é óbvio) e tripas (cheira mal...), pés e mãos (ficarem atadas ??????).
    Em resumo , não gosto de extremidades, gosto mais de lombinhos, são mais fofinhos !

    Já é muito tarde e com esta conversa toda, fiquei........com fome !

    Beijocas

    Verdinha

     
  • Às 1 de novembro de 2009 às 01:10 , Blogger Andre Moa disse...

    Abriu-se-me o apetite também a mim, mas porque já é tarde, vou mas é dormir.
    Boa noite.
    André Moa

     
  • Às 1 de novembro de 2009 às 01:51 , Blogger Kim disse...

    Meu querido Moa!
    Nem me fales em sardinhas, hummmm!!! E de bacalhau? Hummmm!!!!
    Já de cavaco não sei, pois nunca provei.
    Mas sabes uma coisa? Desde que seja em boa companhia, nada há como um piquenique.
    Onde é que eu já fiz um piquenique'
    Vai comendo umas coisas boas para retemperar as forças.
    Abraço amigo

     
  • Às 1 de novembro de 2009 às 06:42 , Blogger Bichodeconta disse...

    Ó Moa há lá melhor forma de começar o dia do que com este cardápio?Parabéns pela inspiração, mas sem ofensa ficos por uns jaquinzinhos fritos com um arroz de feijão, ou umas pataniscas ..Não quero comer comida estrahada, só faltava comer também o rabo do cherne. (Durão Barroso).Comam se gostam, mas depois não se venham queixar de diarreias e gastroentrites e mais algum cavaco entalado na garganta.Quem vos avisa amigo é, Tenham bom dia, esta maluca anda aqui, olhou pró relógio e viu 7 hs, saiu da cama fez o banho e viu depois que se tinha levantado ás cinco..Vou pra cama já , mas não sem antes comer um yogurte.Abeijos e siga a dança.Bom domingo

     
  • Às 1 de novembro de 2009 às 09:14 , Blogger Laura disse...

    Hoje escrevo a crónica semanal, ou seja, é a folha domingueira, para ler à lareira, enquanto bebe um café, ou snifa rodapé, o que mais lhe convier, pois dentro da sua casa, um senhor, um senhor é!...


    A laurinha, caladinha
    Diz que gosta de sardinha
    Um naco de broa
    Tomates de saladinha ...

    Não gosta de politiquinhas
    Porque ela sozinha
    Não endireita ninguém
    Nem o mundo nem mais aquém ...

    Gosto muito muito muito
    De uma lagosta suada
    Mas de cavacos só gosto
    Numa boa caldeirada ...

    Vou dar-vos uma receita
    Que ainda não foi feita
    Pois os ingredientes são todos
    Dificeis de apanhar ...

    Já se sabe que receitas
    Nem a todos se podem dar
    Assim; os ingredientes
    Eu apenas vou segredar ...

    Politicos, compadrios
    Mafiosos corruptos bandidos
    Gostaria de pescar
    E no panelão cozinhar...

    E se todos juntos os pusermos
    Num caldeirão a marinar
    Podemos ter a certeza
    Que nada se vai aproveitar ...

    E o Povo
    Ai, o Povo, esse mexa-se
    E aprenda que o negócio
    É lutar, protestar ...

    Mas eles só protestam
    Se a coisa lhes convier
    E enquanto não lutarem todos
    Lado a lado, a nenhum lado, vão chegar !...

    Abreijos meu querido Moa, parece que a tua Ginger, sabe algumas coisitas na arte de a pena, manejar!...Bom Domingo aí em casa, na companhia do rapaz, que de certezinha certa, ainda alguma das dele, hoje faz..laura

     
  • Às 1 de novembro de 2009 às 11:50 , Blogger Maria disse...

    Caro André:

    Estamos de acordo. Entre cavaco e lagosta, viva a lagosta.
    Os versos como de costume, estão deliciosos.
    Nos Açores, gosto de lapas. Rgadinhas a "Terras de Lava" são deliciosas.
    Gostei de saber que o cavaco era considerado peixe, no dicionário. Ai santa ignorância nos valha.
    Beijinho e parabéns.

     
  • Às 2 de novembro de 2009 às 00:39 , Blogger Andre Moa disse...

    Cara Maria, começo por si, pois que já ardia em saudades suas. Tentei ir ao seu blogue, mas quê dê, como dizem os brasucas? Não encontrei. Tudo bem, consigo? Espero bem que sim. É sempre uma felicidade vê-la por estas paragens.

    Tens razão, caro Kim,
    na tua companhia, na companhia dos teus, na companhia do grupo até pedras do São Torcato saberiam a celestial manjar. Não foi?

    Bichodeconta, alinho nos jaquinzinhos com um arroz malandrino de feijão. Só não poderá ser de tomate, que estou avisado para não comer tomate. Alinho igualmente nas pataniscas e até no yogurte. Mas por favor, às cinco da manhã, não, que ainda estou no primeiro sono!

    Querida Laura,
    Crónica semanal, a preceito, sim senhor. Que crónica! E com que inspiração!

    Cara Maria, volto a si, para lhe dizer que alinho na função açoriana que enuncia. Inclusivamente no vinho. Eu apenas lhe juntaria umas cracas, uma boa morcela, uma boa massa sovada, um bom queijo de São João do Pico, uma linguiça, inhames e, se puder ser, uma boa lagosta suada pela Laura, que se revelou como uma boa mestre da culinária.É uma senhora muito prendada, esta nossa amiga Laura. Desde os versos à caldeirada política, sabe mexer em qualquer panela.
    Abreijos para todos
    André Moa

     
  • Às 2 de novembro de 2009 às 17:42 , Blogger Teresa disse...

    Olá André,

    Como sempre surpreendente e cheio de humor!

    Gosto de saber que está bem.

    UM ABREIJO ENORME

    Teresa

     
  • Às 2 de novembro de 2009 às 21:07 , Blogger Laura disse...

    Ah, depois de uma interrupção à custa de uma vesicula chateada por lhe ter dado gato por lebre, fiz lasanha de atum, a pedido da Neide, em vez de carne, e, como o atum mete óleo que se farta, mesmo depois de o escorrer, bem, fez-me mal... Bem me apetecia assim uma lagostinha suada, bem grelhadinha com manteiga a escorrer e muito alho como fazia em Luanda...e nunca era só uma, lagostas ali eram ao preço da chuva...
    Bom, já me sinto melhor.
    Hoje fui ao médico da terapia da fala, que quando me viu entrar disse; e o cumprimentei; a senhora vem para a terapia? claro,respondi, mas,se fala assim tão bem , e para quem não ouve, o que vem cá fazer?...preciso de aprender a distinguir o som das palavras, blá blá, ahhhhhhhhhhhhhh, olha, ficamos amigos ehhhh, ficou com o meu blogue, falamos da pintura escrita, livros, e, senti admiração nos olhos dele, talvez pela minha surdez me levar a caminhar mais prá frente, não para vos mostrar que consigo fazer de tudo o que me proponho, mas, para mim, para me sentir feliz, e uma pariga normal...
    Bom, politiquices nem são comigo, mas se fossem, acredita que estava tudo no poleiro certo, nem um fora do galho que lhe dizia respeito, mas, o Povo consente, aceita,cala-se, aguenta, e, eles aproveitam-se, porque o que eu queria ver era melhorias em todos os lugares menos contemplados, nas pessoas mais pobres, enfim...

    Beijinhos, e, falei em ti ao dr...do nosso grupo e do nosso passeio pelo Douro, os lugares por onde passamos, enfim...beijinhos e abraços da laura.

     
  • Às 2 de novembro de 2009 às 23:29 , Blogger Andre Moa disse...

    Cara Teresa,
    obrigado pelo incentivo expresso no seu comentário.

    Cara Laura,
    folgo que estejas melhor da vesícula. Temos de ir a Angola, para a tal da lagosta suada, com todos os matadores. Valeu?
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 3 de novembro de 2009 às 01:04 , Blogger Laura disse...

    Ai se temos, ó Moa,se temos, podemos ir apanhá-las em Port Nolot, ah, na áfrica do Sul, um amigo meu levou uma cesta delas, apanhadas ali pelos pescadores a centimos e não rands...e chegando a casa, meteu-as na panela, depois dourou-as no grelhador, manteiga e alho, ai a minha vesicula ja tá a refilar..Beijinhos e dorme bem, não temos falado, a nossa nininha anda em mau estado...bolas...
    laura

     
  • Às 3 de novembro de 2009 às 15:48 , Blogger Laura disse...

    Bom, o Xistosa ofereceu-se para me partir a pedra da vesicula, à martelada, enfim, mas acho que com umas lagostas, suadas a coisa vai melhor... A vesicula tá boa e a laura ainda melhor, depois de ver malbaratar o seu Camões, mas, logo vê se vais ao resteas, porque as lembranças chegaram, através de vários tipos de pedras, num simples poema que escrevi à beira mar!....
    Um abraço quentinho, mas com um sol radioso, porque o sol brilha na nina das resteas, faça chuva ou...laura

     
  • Às 4 de novembro de 2009 às 08:19 , Blogger Laura disse...

    Mais um dia para viver
    Um dia para acontecer
    Em incerteza ou na certeza
    De que tudo o que sai hoje
    Como prato do dia
    Começará em beleza...

    Esperando que
    O sol possa brilhar
    Nem que seja apenas
    Por momentos
    E a alegria possa voltar
    Mesmo misturada com tormento...

    Já que não somos senhores
    De na nossa vida mandar
    E quando vemos as dores
    Porque temos de passar
    Só queremos que haja flores
    Para a nossa vida alindar !...

    E com um ramalhete delas
    Te venho presentear
    Desejando-te uns bons dias
    Plenos de mil alegrias
    Deixando-te num abraço
    Toda a ternura que te posso dar !...

    E vamos lá o post a mudar, gosto de me rir e de cantar porque de lágrimas e tristezas, já nem tenho mais, onde as guardar!... Beijinho da laura que já conta os dias...na maquineta, (pc) ora, que pelos dedos já nem tem graça...

     
  • Às 4 de novembro de 2009 às 10:43 , Blogger Bichodeconta disse...

    Escrevi, escrevi e quando tentava enviar o comentário apagou-se tudo. Volto mais tarde.Abreijos

     
  • Às 4 de novembro de 2009 às 22:04 , Blogger Andre Moa disse...

    Cara Laura,
    já faltou mais, de facto. Cada dia que passa, é um dia a menos neste caminho que ainda falta percorrer.

    Oh, que pena, Bichodeconta! Espero que consiga repor tudo o que Marta fiou e o PC apagou.
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 5 de novembro de 2009 às 08:05 , Blogger Laura disse...

    Vim ver se já fizeste os trabalhos de casa, que, sem querer, marquei. Olha que nem foi por acaso, assim; ensaia lá essa voz de pífaro, ah, desculpa que eu não posso ainda ajuizar as vozes, mas era para rir, e afina a garganta, boas colheradas pequeninas de mel, limão, o que for... e, já pedi um restaurante com espaço para manobras, já que entre cadeiras os nossos rodopios não teriam continuidade, ora pois!...
    Sabias que o homem da maquineta de filmar, já disse que vai lá estar, entre versos, ah, o rapaz é fino!...
    Beijinhos e tem um dia bom.
    laura, a tua Ginger...

     
  • Às 5 de novembro de 2009 às 08:05 , Blogger Laura disse...

    V escrever um email e como tal, lê e, faz favor... Se não te aviso deixa-lo prá semana..beijinhos.

     
  • Às 5 de novembro de 2009 às 11:09 , Blogger laura disse...

    Ah, já somos dois a estudar a lição para o dia aprazado, e faz favor de não dar por aqui, a data da inscrição, é que os fãs já são mais que muitos, e depois não teremos espaço, para rodar lá plo salão...(claro que aos mais chegados que andam aqui nos comentes, podes dar, ehhh, mas...olhá lotação esgotada...)ahhh ando a ensaiar a letra porque cantar seria o fim do espectáculo...beijinhos e lê o email..laura

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...