SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

terça-feira, 31 de agosto de 2010

DEMOCRISE 1




HOMO LUPUS HOMINIS

Isto é que vai uma crise!
Eis uma frase repetida até à exaustão, nos dias que correm. Por mim, apetece-me dizer que a crise não vai, continua; que a crise é uma constante da vida. Que a crise de que toda a gente fala hoje em dia, não é verdadeiramente uma autêntica crise. A crise actualmente badalada não passa de uma burla financeira a nível planetário, de uma fraude, de corrupção, de ambição desmedida, de exploração de banqueiros gananciosos e de outros que tais.
A crise, a verdadeira crise é crise de crescimento, é uma crise vital que só termina, no que toca ao indivíduo, com a morte; no que toca à humanidade com uma catástrofe cósmica que termine com a vida na terra. Só a morte destrói a crise, ao destruir a vida.
Krisis é a raiz da crise. A raiz etimológica, entenda-se, que a raiz da crise real, da crise concreta, da crise sentida no dia-a-dia, no quotidiano individual e colectivo, é mais funda e é múltipla.
Há crises boas, prenhes de esperança, capazes de mobilizar fraquezas e forças, revolver tripas, catapultar, demover céus e terra, remover montanhas, contornar obstáculos, aplanar vales, construir diques, aplanar caminhos, semear desertos, amainar tempestades, construir a bonança.
Há crises que nos subjugam, nos arrastam para abismos insuspeitados, nos desalentam, crises que só uma boa crise, daquelas de colocar tudo em crise, a chamada crise de crescimento, a crise susceptível de remover montanhas, pode ultrapassar. A democracia está em crise? Sempre esteve. Sempre estará. Crise boa ou má? Em meu entender má. Daí a necessidade de transformar a crise que vivemos, a má crise, a democrise, em crise democrática, vivificadora, criadora, redentora, susceptível de criar esperança. Só a democrise, a crise do demo, a crise do povo, a crise luciferina, a crise à 1385 será capaz de libertar, de evitar que o homem-povo continue a ser devorado pelo lobo-homem.
André Moa

16 Comentários:

  • Às 31 de agosto de 2010 às 23:11 , Blogger Osvaldo disse...

    Caro irmão;

    Krisis Kredus...

    Quem fala em crise?... Crise eu querer mais tempo porque 24 horas por dia já não chega, preciso que o dia passa a ter 48 horas, ou seja, 24 por dia e 24 por noite. Só assim acabaria a minha crise de tempo, Krisis Kredus.
    Grande abraço, caro irmão e até pra semana.
    Osvaldo

     
  • Às 1 de setembro de 2010 às 00:01 , Blogger Espaço do João disse...

    Sábias palavras. Muitas crises virão. Muitos não a verão. Muitos ficarão mais gordos com las. Muitos ficarão mais magros. Enfim é a crise.
    Um abração sem crises. João

     
  • Às 1 de setembro de 2010 às 01:24 , Anonymous Anónimo disse...

    Ena pai, tantas crises e a esta hora ando eu em crise...
    A crise é passageira, é de cada um, uns tem-na outros nem a sentem, outros nem sabem o que é nem de onde vem...

    Pois bem, eu não estou em crise, tive uma grande crise, mas já passou...

    Beijinhos madrugadores da nina a laura anónima...

     
  • Às 1 de setembro de 2010 às 01:52 , Blogger Maria Soledade disse...

    Desde que começei a entender a língua dos adultos retive na memória a palavra...CRISE!Logo, creio que essa "senhora" sempre existiu.Podes vestir-se mais ou menos bem,mas sempre enfadonha, sem um pingo de sensualidade...

    Hoje, a crise que mais me preocupa é exactamente aquela em que poucos reparam!

    A CRISE DE...VALORES!!!!!

    Beijinhos Môa que quando "fala"tudo o que diz nada é a toa...

     
  • Às 1 de setembro de 2010 às 01:53 , Blogger Maria Soledade disse...

    ***PODE...Lol...é o sono!!!:)))

     
  • Às 1 de setembro de 2010 às 12:47 , Blogger Laura disse...

    Ah, outra ensonada a falar da crise tão nosso conhecida, a Crise de valores, mas a menina refere-se à Bolsa de Valores ou? é que a Bolsa anda em crise e não é pequena..e a outra, ah, com a outra podemos nós bem, fazemos de conta que nem existe e tá feito.

    Eram 4 da matina e não dormia, virava, revirava, ah, o que seria? hum, a falta de magnésio que meu corpo tão bem conhece e eu já sei diagnosticar, assim; magnésio com ele...


    Beijinho da laura

     
  • Às 1 de setembro de 2010 às 12:48 , Blogger JE VOIS LA VIE EN VERT disse...

    A minha crise de adolescência não foi grande, os meus filhos nunca tiveram aquelas crises de se deitarem no chão, a minha crise de menopausa nunca foi muito importante (e nem sei se acabou...), a crise do que todos falam neste momento pouco a sinto.
    Será que tenho anticorpos por ter tido ao longo da vida crises que eu chamava pequenas e que talvez era grandes ?
    As crises grandes ?
    Esqueci-me...;))
    Será que estou a entrar na
    crise da 3ª idade ???? ;(

    Beijinhos sem crise
    Verdinha

     
  • Às 1 de setembro de 2010 às 16:17 , Blogger Laura disse...

    Ahhh esta verdinha..


    A vida deu-te crises
    que crivaste a teu belo prazer
    agora estas crises
    a ti já nada querem dizer.

    A crise da meia idade
    temo-la todos é certo
    enfrentando a realidade
    lutando a céu aberto.

    Mas a crise que passamos
    foi criada pelo homem
    que sem vergonha no rosto
    envergonhou o próprio homem.

    Que é irmão do primeiro
    e não tem em si a astúcia
    para fazer frente ao roubo
    de quem engana o Povo.

    Enquanto os deixarmos
    saltar de poleiro em poleiro
    perdemos a felicidade
    lutando contra o mundo inteiro.

    Beijinho da laura

     
  • Às 1 de setembro de 2010 às 19:39 , Blogger Andre Moa disse...

    A crise do Osvaldo é
    não ver o tempo dobrar;
    passar noite e dia em pé
    e sempre a trabalhar.

    A crise para o João
    é um nunca mais acabar.
    Uns mais magros ficarão,
    outros é um tal engordar.

    Para a Laura, é passageira,
    e muitos nem dão por ela.
    é como brisa ligeira
    que nos entra pela janela.

    A Maria Soledade,
    sempre profunda e atenta,
    diz que, sem sensualidade
    e valores, não se aguenta.

    A Verdinha - luso-belga -
    pergunta: o que é a crise?
    Crise em mim? Está bem, ó melga!
    Só mesmo por um deslize.

    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 2 de setembro de 2010 às 20:34 , Blogger Laura disse...

    O Osvaldo queria tempo
    para tempo o tempo,ter
    esqueceu que a Lei do alto
    é com que temos de viver.

    Era o que mais faltava
    encompridar os nossos dias
    se trabalhasses de enxada
    de sol a sol a ouvir as cotovias.

    Voltavas a querer
    que os dias fossem dias
    as mesmas horas todos os dias
    assim como deve ser!

    Ahhh desta vez saiu para o nino Osvaldo, eu sei que o tempo não te sobra, mas deves andar cansado e querias o dobro para descansar mais um pouco! Acertei?

    Beijinho da laura

     
  • Às 2 de setembro de 2010 às 20:37 , Blogger Laura disse...

    O João não entra em crise
    se passa a vida a cavar
    mimoseia os amigos
    com quiabos de paladar.

    Ele dá flores a toda a gente
    desde cravos, rosas em botão
    começa antes do sol nascer
    sempre com boa disposição.

    A crise não entra nele
    que ele não a vai deixar
    e desde menino
    o seu pão soube ganhar!

    Beijinhos, ahhh agora vai de seguida, enfim, aproveitem que não é todos os dias que isto sai.. laura

     
  • Às 2 de setembro de 2010 às 20:39 , Blogger Laura disse...

    A Laura bem que precisa
    que lhe mostrem a crise
    numa janela diferente
    é que ela conhece bem
    os dias da sua gente.

    As crises já foram tantas
    passaram quase de lado
    aprendeu a superá-las
    e não se assusta com pouco
    ela sabe superá-las...

    beijinhos ó laurita, da; laura... (eu)

     
  • Às 2 de setembro de 2010 às 20:43 , Blogger Laura disse...

    A Maria Soledade
    sabe que a vida pesa
    mas os valores de que fala
    são mostrados na mesa.

    Ela põe o baralho
    faz da vida uma jogatina
    aldraba a felicidade
    esquece-se de ser menina.

    Mas os ases vão chegar
    vão mostrar a essa nina
    que a vida nem sempre é justa
    e nem sempre será madrinha.

    Dias virão em que o sol
    há-de entrar de sopetão
    e enquanto ele não vem
    dou-lhe um xi-coração!...

    Adoro-te Soledadinha. Um xi d alaura

     
  • Às 2 de setembro de 2010 às 20:53 , Blogger Laura disse...

    No aprendeu a superá-las é contorná-las, sorry Mestre Moa, ai as palmadas...

    As crises já foram tantas
    passaram quase de lado
    aprendeu a ((contorná-las))
    e não se assusta com pouco
    ela sabe superá-las...

     
  • Às 2 de setembro de 2010 às 20:55 , Blogger Laura disse...

    A Nossa nina de verde
    não entra em crise não senhora
    ela é lá de longe
    das terras de Nossa senhora.

    Aquela Nossa senhora
    que o Osvaldo venera
    tem um Manto verde nas costas
    e a gente adora vê-la...

    É a senhora dos verdes
    que está lá numa capela
    tal era a devoção
    que não saiam de ao pé dela!

    Já se vê porquê...ai o Sporting...

    beijinhos ó Moa, e desculpa ocupar tanto espaço..laura

     
  • Às 2 de setembro de 2010 às 23:17 , Blogger Andre Moa disse...

    Estás desculpada. Foi por uma boa causa, não foi? Então, podes entrar. O blogue também é teu.
    Beijinhos
    André Moa

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...