SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

DEMOCRISE


DEMOCRACIA E LAICIDADE
É evidente que são as circunstâncias que nos norteiam a consciência. Mesmo assim, devemos esforçar-nos por nunca defender seja o que for por oportunismo e por hipocrisia, mas em obediência a uma profunda e arreigada e fundamentada convicção.
As várias escolas que frequentei exibiam numa das paredes um crucifixo, sempre ladeado pelo “mau ladrão” – o presidente do conselho - e o “bom ladrão” - o presidente da república.
Nem por isso deixei de me tornar antisalazarista e de me ter transformado num convicto humanista (ateu), antifanático e apóstolo da tolerância. Mesmo assim, penso que não eram imagens recomendáveis para as litlles criancinhas.
Aliás, Cristo deixou-nos provas de que era laico. Também ele se opôs aos vendilhões do templo, aos sacerdotes, aos respeitadores do sábado, aos sepulcros caiados, aos publicanos, aos ricos, aos dominadores, aos hipócritas e fariseus, aos que pretendem impor a sua vontade, os seus ideais, a sua religião, os seus pontos de vista, aos demais, não por persuasão, por educação, mas imperativamente, à força, a ferro e fogo. Por estas e por outras é que ele foi crucificado.
Tenho a plena convicção de que se ele vivesse nos dias de hoje e pensasse e agisse como pensou e agiu quando por cá andou, se opunha à exibição de crucifixos por tudo quanto é sítio. Para mais, frente a inocentes criancinhas a quem o sangue, a simples lembrança de sangue, costuma arrepiar.
Num Estado de Direito que se proclama laico e com a obrigação legal de tratar por igual todas as ideologias e religiões, é uma questão de valores não permitir a exibição de símbolos ou ícones de qualquer religião. O mesmo princípio me leva a não aceitar a exibição de cartazes, propaganda política, partidária, eleitoral em qualquer edifício público.
Viva a democracia! O mal é que este é um conceito quase divinizado, transformado num quase mito, cada vez com mais definições, o que equivale a não estar bem definido. E não há nada pior para confundir as mentes do que conceitos indefinidos ou mal definidos.
Viva a tolerância! Viva a lucidez! Viva a amizade!
Um abraço amigo.
André Moa


19 Comentários:

  • Às 15 de novembro de 2010 às 21:40 , Anonymous DAD disse...

    Também concordo que a democracia é o mais "nobre" dos regimes políticos, por isso é que estou tão zangada com todos aqueles que estão a conspurcá-la.
    Tivemos tantas esperanças no 25 de Abril. A democracia não tem culpa - os homens que se dizem democratas e que, afinal são só oportunistas, é que estão a querer dar cabo dela e estão a descredibilizá-la, mas o povo é sereno...
    Beijinhos,

     
  • Às 15 de novembro de 2010 às 22:54 , Blogger Je Vois la Vie en Vert disse...

    Só passei para te deixar um beijinho.
    Abaixo a democrise ! Viva a democracia ! Viva a amizade ! Viva o GT !

    Verdinha

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 00:18 , Blogger Andre Moa disse...

    Dad e Verdinha,
    Queridas amigas:

    Assim é que se fala, mulheres e amigas! Uma pode ser a padeira de Aljubarrota e a outra a Joana D'Arc que não é natural da Bélgica, mas falava francês. Espero bem que sim.
    Beijinhos.
    André Moa

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 09:30 , Blogger Laura disse...

    Queridos e Amados todos!


    Não importa a raça ou credo
    que haja ou não democracia
    importa que todos demos as mãos
    em nome da mais sã harmonia.

    Que importa que o homem se filie
    neste ou naquele Partido
    se até aqui só houve guerras
    e um povo cada vez mais oprimido.

    Importa sim dar as mãos
    unir o pensamento
    saber que todos somos irmãos
    e juntos afrontaremos
    qualquer tormento!

    Meus queridos e amados Irmãos (já pareço algum leitor da eterna Biblia) para mim há a realidade, mas não há a falta de amor, e de compreensão. Mas, é necessário trabalhar para que o Bem aconteça e se ficamos à espera de melhores dias, como se diz...acho que nem será no nosso tempo que a Fraternidade acontecerá! Por vezes é preciso lutar. pena que só conheçamos a guerra das armas e não se saiba escutar a voz e o som das palavras de AMOR!...


    Amo-vos e o que sinto por todos leva a que esqueça; Partidos, Religiões e afins e só me detenha na parte para que nasci, apenas e sempre para o bendito Amor que me percorre as veias desde que vim ao mundo!

    a vossa laura, nina, dolce, flor de linho...

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 09:55 , Blogger Osvaldo disse...

    Caro irmão;

    Nunca falei (escrevi) mais sério que hoje.

    Viva a democracia!... o que é isso?. É algum pastel de Belém, é um pastel de natas, são castanhas assadas, é uma feijoada ou um cozido à portuguesa?... Democracia é algo que se coma e se possa matar a fome aos que a têm (a fome) ?...
    O único democrático que concordo que seja, é o vinho do meu amigo Dinis da Quinta do Ladário em São Miguel de Vila Boa e que tem por lá duas pomadas de se sair da adega de cú virado pra Lua (porque só se sai de lá de madrugada) e a quem ele deu o nome de Vinho Democrático porque tanto vai ao tinto como ao branco e isto é Democracia,... o resto não conheço.

    Laicidade... depende de quem a defende, mas normalmente e por experiência vivida os que se dizem laicos (não ateus) defendem a laicidade de um povo e de um país mas dão exemplos como este;
    Francisco Louçã revolta-se com as escolas em Portugal que ainda ostentam crucifixos nas paredes (eu não tenho nada contra, porque os crucifixos nunca me fizeram mal), diz que as nossas crianças estão a ser induidas em erro e influenciadas na escolha da religião, que é uma aberração a exibição dos mesmos e que o governo deveria prender os professores que incistem em mantê-los. Na mesma semana visita a Mesquita de Lisboa e quando sai, aos jornalistas presentes, rasga os maiores elogios ao mussulmanos dizendo que eles sim dão o exemplo de educação pois as crianças que frequentam a escola no interior da Mesquita são obrigados a ler o Corão e a recitá-lo!!!...
    Será isto a Democracia ou o tal do Laicismo?, é que até hoje tudo o que se refere à Laicidade é para defender o Islão, não só em Portugal, mas em vários países desta Europa que dentro de alguns anos, não muitos, vai ter que se pôr de cú pro ar cinco vezes por dia e as mulheres serão lapidadas se não vestirem a Burka,... e nem os ateus se salvam!.

    Aqui na Suíça, considerados por todos a melhor e maior Democracia do Mundo, no inicio do ano lectivo, portanto à pouco tempo, um professor exigiu e retirou um crucifixo da sala de aula. A população da cidade, no Canton do Valais, demitiu e expulsou professor dizendo que como Cantão Católico não admitia que um professor retirasse o simbolo do cristianismo das salas de aula. E sabem porque a Suíça é considerada a melhor democracia do Mundo?,... porque aqui é sempre o povo que decide e que resolve no imediato.
    Talvez os que lerem este comentário vão já criticar a democracia suíça, da qual com orgulho faço parte, chamando o povo suíço de ditadores burgueses e facistas. Mas e em relação a Portugal e como português que sou, se defender a cultura e educação recebida das nossas ancestrais raízes é ser facista,... então Viva o Facismo.

    Grande abraço para todos e quem tiver coragem pode criticar este comentário desde que apresente razões para o fazer.

    Abraço irmão.
    Osvaldo

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 10:44 , Anonymous DAD disse...

    Apesar de todos os defeitos que tem, a DEMOCRACIA parece, sob o meu ponto de vista, o mais saudável modo de nos organizarmos em sociedade. As deturpações que existem à volta dela são a nossa culpa que, como seres humanos,pois rapidamente conseguimos destruir os ideais com relativa facilidade...
    Continuo a "sonhar" com uma democracia sentido e vivida!

    Beijinhos a todos,

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 10:46 , Anonymous DAD disse...

    escrevi um pois a mais. Retirem o pois quando lerem...
    pois...pois...

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 17:27 , Anonymous laura disse...

    Realmente ter um crucifixco numa sala de aula nem faz falta nenhuma, assim como não fazem as fotos dos Homens da História, presidentes, etc etc, porque nem todos são dignos de figurar nas paredes, mas, há sempre espaço para uma sala com esses retratos...que os alunos podem apreciar quando lhes aprouver... E na verdade porque terão as crianças e jovens de olhar todo o tempo de aulas para crucifixos com um homem pregado nela, quando todos sabemos bem que Jesus já ressuscitou logo naquele momento... Mostrem o Mestre como ele era, calmo, bondoso e sempre disposto a ensinar e a perdoar... ponham paisagens bonitas e levem os jovens a estudar com gosto. Todo o sistema de ensino está por demais obsoleto e gasto.Assim como as religiões que teimam em manter, todas precisam de ser actualizadas, apenas isso.

    Aqui por mais democratas que sejamos, minha nossa, como estamos enganados, pois a verdadeira Democracia é o poder de um Povo, logo, aqui o Povo faz o quê? o que o Governo quer, senão levam na tromba e lá vão prá prisa... Ainda não vi nenhum partido levar a melhor com as suas reformas, antes pelo contrário vejo-os a todos cada vez mais corruptos e a inventar mundos de razões para apertarmos o cinto, daqui nada não há buraco que aguente mais apertos...
    Claro que admiro este Povo que cala e consente feito de homens que em casa são de bordoada pra baixo na mulher e filhos... mas na rua calam-se caladinhos...

    Enfim, continuo a dizer que não é com Politicas e religiões que lá chegamos, nem importa acreditar ou não em Deus, porque cada um é Uno e faz da sua vida aquilo que quiser, logo; cada um sabe de si!

    E beijinhos para todos em amor, paz e luz..

    laura

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 18:08 , Anonymous Anónimo disse...

    Isto é que vai uma crise!
    Democracia, o que é isso? Será que ainda haverá quem a pratique?
    A democracia tem perdido seu significado e valor nas mãos de tiranos que a corromperam por completo. Democracia quer dizer; “poder do povo”, mas actualmente essa palavra perdeu o seu verdadeiro significado, enfraqueceu, ficou ultrapassada. Nos dias de hoje “DEMOCRACIA” é uma condição necessária em voto, mas não suficiente em atitude.
    Venha o governo que vier, não será melhor que o anterior, até poderá implantar algumas mudanças em nome da democracia, mas apenas consegue aprofundar mais a injustiça social.
    Já não estamos em condições de nos salvar, com crucifixos pendurados na parede ou com orações desta ou de outra religião, sobre isso não restam dúvidas, o mundo está repleto de homens que apregoam as suas ideologias de uma forma pouco comum de modo a obter o poder para fomentar a sedução e a corrupção.
    Falamos em democracia, mas ela é apenas uma expressão politica para um estado de espírito caracterizado pelo "pode ser, tem que ser e não pode ser de outro modo."
    A democracia muitas vezes significa o poder nas mãos de uma maioria incompetente, este país está viciado e essa palavra já não aguenta tanta adversidade.

    Embora a democracia se manifeste de muitas formas, há certas caracteristicas essenciais que a maioria compartilha, e quanto a isso o GT é soberano.

    Beijinhos ao grupo que pratica a verdadeira ideologia democrática (GT).

    L&L

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 20:27 , Blogger Andre Moa disse...

    Sem coragem nem covardia, apenas com frontalidade e convicção,caro irmão Osvaldo, aqui vai a resposta ao teu bate papo escrito de papo cheio. Passo a explicar com as minhas razões.
    Falas de democracia de papo cheio, pois vives, vai para três décadas, numa autêntica democracia. Lá terá os seus defeitos, mas não há dúvida que quando penso em democracia, democracia a sério,democracia vivida no dia-a-dia, penso logo na democracia directa e na Suiça, onde, como lembras, o poder é efectivamente do povo e é exercido pelo povo e para o povo. Mal? Bem? Umas vezes mal, outras vezes bem, mas errar é próprio do homem e com os erros é que se aprende. Nós por cá, de democrcia directa, nem o cheiro. É verdade que a Constituição fala, a par da democracia representativa, da democracia participativa e de acção directa e de acção popular, mas isso é bonito de ler, mas difícil de pôr em prática. E mais difícil ainda quando os poderosos não querem nem deixam.
    Cada povo tem a sua história. E a sua educação e a sua cultura. Não defendo a educação e a cultura do povo português que são de nível ainda muito baixo. Faço tudo o que posso para que uma e outra vão crescendo até todos tomarmos consciência dos nossos deveres e dos nossos direitos, cumprirmos exemplarmente os deveres e lutarmos tenazmente pelos nossos direitos conscientemente definidos e criteriosamente defendidos.
    Não é por acaso que o sistema da Suiça não existe em mais lado nenhum. E hoje em dia não será fácil implantar seja onde for uma democracia desse tipo. Por isso, temos de nos contentar com a que temos e tentar tudo por tudo para a melhorarmos. Até chegarmos um dia - esse é o meu lema - à democracia a sério, à democracia sentida pelo povo, com o poder nas mãos do povo e exercido pelo e para o povo.
    Não te preocupes assim tanto com as incongruências do Francisco Louçã que o que ele diz, felizmente, não se escreve, ou seja, não se pratica. Não passa de folclore político, inconsequente.
    Abriste-me bem o apetite, seu tentador! Então não vês que eu gosto desses acepipes todos que enumeras, mas não posso comer nenhum!? Fiquei com água na boca, seja pelo desejo da democracia popular, seja pelos pastéis de nata e outras iguarias, passando pelo vinho,branco ou tinto não importa, nem haverá discussão, desde que o vinho em questão seja do que a gente mais gosta.
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 20:42 , Blogger Andre Moa disse...

    O problema está aí, cara Dad. O que contrapôr à democracia? Até aqui, só a ditadura, e está por descobrir uma ditadura libertadora do ser humano. Pelo contrário, todas as ditaduras alimentam-se de oprimir e sufocar o povo. A uma democracia eleitoralista (que não passa de uma oligarquia,de uma quase ditadura, ou ditadura camuflada) eu oponho uma democracia participativa, em que, efectivamente, o poder do povo seja pelo povo e para o povo exercida. Mas essa vai demorar décadas a construir-se e só lá se chegará através da educação e da cultura. São estes dois os nossos campos de batalha, sem tréguas nem desânimos.
    Beijinhos
    André Moa

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 21:00 , Blogger Andre Moa disse...

    Cara Laura,
    Tu dizes: "admiro este Povo que cala e consente feito de homens que em casa são de bordoada pra baixo na mulher e filhos... mas na rua calam-se caladinhos". Eu não o admiro, lamento-o e tento contribuir para que este estado de coisas vá mudando. Fi-lo antes do 25 de Abril (os meus poemas o demonstram). E espero continuar nesta luta surda até ao resto dos meus dias, que isto está melhor, mas ainda muito longe do aceitável.
    Mas, afinal, o que tu defendes, não será o cerne da verdadeira democracia? Julgo que sim.
    Beijinhos
    André Moa

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 21:10 , Blogger Andre Moa disse...

    Cara L&L,
    Palavras sábias, como de costume, estas que aqui nos deixas. Costumamos dizer que quem espera por sapatos de defunto anda toda a vida descalço. Ora, quem espera que a democracia lhe seja oferecida de bandeja por quem se senta à mesa do poder dos poderosos, vai morrer estúpido, ignorante, espoliado, espezinhado, com botas maios ou menos cardadas, mas espezinhado.
    Conclusão: se não temos democracia (e não temos) a culpa não é dos governantes mas do povo que não se sabe governar. Cada vez estou mais convencido de que cada povo tem o governo que merece. Não tanto o que merece, nunca será o que precisa, mas o que, pacificamente, vai permitindo que se instale, para mais " em seu nome". Falta-nos preparação, sentido crítico, e garra para tomarmos o futuro nas nossas mãos e construí-lo democraticamente.
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 16 de novembro de 2010 às 21:14 , Anonymous laura disse...

    Moa, não soube escrever direito,deve ter sido a pressa...

    Admiro-me era o que queria dizer. admiro-me com a maioria dos homens que em casa bate forte e feio e na rua calam-se quandos e trata de defender o próprio Povo...

    Democracia, se for aquilo que todos queremos e se for bom para todos, pois seja!

    beijinho e desculpa o disparate faltava um traço e um me... paciência, já está

     
  • Às 17 de novembro de 2010 às 11:31 , Blogger Kim disse...

    Amigo André!
    Admiro a tua desassombrada coragem em chamar os bois pelos cornos. Como sabes e isso é natural, temos opiniões divergentes quanto aos temores celestiais. Apesar de tudo acho que em cada uma das nossas razões há sempre algo de verdade. Julgamos sempre ser donos da verdade e tu tens o bom hábito de aceitares incondicionalmente os gostos de cada um. Isso sim é democracia.
    O resto nem discuto, porque ora tenho certezas no divino, ora dúvidas no profano.
    Um grande abraço

     
  • Às 17 de novembro de 2010 às 15:14 , Blogger Andre Moa disse...

    Caro Kim,

    Uma vez mais mostras a tua lucidez e o teu generoso coração. É evidente que cada um tem a sua verdade, até à próxima verdade que se conseguir alcançar. O que importa é aprofundar os conhecimentos, o sentido crítico, a tolerância e o bom senso, numa palavra politicamente correcta: a democracia. Cada um com as suas convicções, sejam políticas, sejam religiosas, culturais, estéticas, éticas,amorosas. Eu tenho as minhas, e porque gastei muito bestunto e unto a aprofundá-las (não as comprei no pronto a vestir da esquina mais próxima) exponho-as, confronto-as, defendo-as. Quem acredita num deus, é evidente que deposita nessa ideia todas as certezas. É caso arrumado. Assim como quen não acredita em nenhuma divindade, também tem o caso arrumado. Como depositar certezas em algo que não existe? Esta é a minha postura. Não existe deus, viva a vida. E afirmo isto com toda a certeza que a minha razão e a minha sensibilidade me ditam e proporcionam. Tudo o mais vem por acréscimo, encadeadamente, logicamente.
    Quanto ao aceitar incondicionalmente os gostos de cada um faz parte da tolerância, da democracia, da abertura de espírito que preconizo e exijo a mim e a todos. Eu por exemplo poderia estar numa associação de ateus, onde, à partida, todos pensariam como eu. Mas não estou. E não estou porque nem todos ali pensam como eu, nem eu como os demais. E anda por lá cada fanático! Fanatismos, não obrigado, seja em que campo for. Nem no político, nem no religioso, nem nos costumes, nem no amor. Devemos amar e abraçar sempre a verdade, mas com a profunda certeza de que não há nada mais volátil e mutável. Agora não vamos trocar a nossa verdade pela verdade de outros, mas que nós não sentimos nem temos como verdadeira.
    Viva a amizade, que esta sim, é que nos salva.
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 17 de novembro de 2010 às 15:18 , Blogger Andre Moa disse...

    SALVÉ, IRMÃO OSVALDO!

    PARABÉNS POR MAIS UMA PRIMAVERA EM PLENO OUTONO.
    SÓ UM HOMEM DE BEM COM A VIDA COMO TU CONSEGUIRIA TAL MILAGRE. SÓ TU CONSEGUES AQUECER OS CORAÇÕES MAIS GÉLIDOS.
    FELICIDADES MIL.UM ANO MUITÍSSIMO BOM.
    UM GRANDE ABRAÇO.
    André Moa

     
  • Às 17 de novembro de 2010 às 16:37 , Anonymous laura disse...

    Como não será um ano muitíssimo bom se em breve vamos de novo abraçar a todos? e comungar na mais bela linguagem da vida e do mundo a língua universal do AMOR escrito com maiúsculas...

    É por isso que aprendi a discernir indo muitas vezes contra as ideias do meu pai, pois, os meus amigos são todos diferentes e cada um pode ter a sua crença na religião, política, o que for, para mim o que conta é a pessoa que tenho por amiga e o resto é treta...

    Fanática só se for pelo bendito Amor a todos.

    Um beijinho da laura

     
  • Às 17 de novembro de 2010 às 23:30 , Blogger Andre Moa disse...

    ATÉ A SELECÇÃO NACIONAL TE QUIS HOMENAGEAR NESTE TEU DIA, CARO IRMÃO OSVALDO. POR MIM, OFEREÇO-TE, INTEIRINHA, ESTA HISTÓRICA VITÓRIA DE PORTUGAL CONTRA A ESPANHA.
    Viva Portugal!
    Abraço.
    André Moa

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...