SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

domingo, 22 de novembro de 2009

AOS SETENTA SÓ SESSENTA DE POESIA

CONCELHO DE TABUAÇO



1 - Igreja Matriz

de CARRAZEDO

2-Cabeço das Pombas-Pinheiros

3 - Igreja Matriz de Pinheiros


aos sessenta

ainda se tenta
a mirífica euforia

a coporal sinfonia
aos setenta
só se senta
no sofá da sabedoria
no amado colo da poesia


É verdade! Dos setenta que já cá cantam, conto sessenta de poesia. Isto porque o primeiro poema de que hei registo data de Dezembro de 1949, tinha eu acabado de perfazer dez anos. Mais do que poema, caberia chamar-lhe primeira tentativa de um aprendiz de feiticeiro, de um atrevido poetastro de palmo e meio, mas atendendo à idade e demais circunstâncias, será de desculpar o atrevimento e perdoar a vaidade.
Se nos reportássemos aos primórdios em que manifestei, oralmente, os meus dotes de versejador precoce e ousado, teríamos de recuar pelo menos mais três anos.
Dos seis aos nove anos passei parte do Verões em Carrazedo
[1], onde nasceu minha mãe e onde viviam minha avó, minha tia Lucinda, minha tia Maria, meu tio António e meu tio Manuel. Por ali andava um mês e tal à rédea solta. Em casa da Tia Maria e do tio Artur, que tinham um filho, o primo Agostinho, da minha idade, é que eu assentava arraiais.
Carrazedo é um pequeno e sertanejo lugar situado a uns três escassos quilómetros da aldeia sede da freguesia – Pinheiros
[2] - de que aquele lugarejo é parte integrante.
A 16 de Setembro é a grande festa da paróquia, em honra de Santa Eufémia, a padroeira de Pinheiros, festividade popularmente conhecida como a festa da canalha.
Como acontece (acontecia, pelo menos, na época a que me reporto) noutras festarolas da região, na noite anterior montam-se as tasquinhas, à volta das pipas atestadas de vinho, colocadas em cima de carros de bois acabadinhos de chegar, vindas sei lá eu donde. Que nem abelhas atraídas por mel, logo um magote de homens se juntava no arraial da festa, para dois dedos de conversa, enquanto iam provando o vinho das várias tascas para avaliarem qual o melhor. O meu tio Artur era, verifiquei-o eu in loco e reiteradamente ao longo dos anos, dos mais assíduos. Todos os anos fazia questão de me levar consigo, apesar dos remoques da minha tia, até porque teve em mim, desde o meu primeiro ano por estas andanças, um cúmplice entusiasmado e à altura. Palavra puxa copo, copo puxa palavra cada vez mais animada, não tardava que os mais dotados para a cantoria entrassem em despique, ao desafio, acompanhados por alguma guitarra repentinamente surgida nas mãos do tocador, como que nascida do chão.
Gente rural, analfabeta até à medula, só o copito a mais lhe abria a boca e afinava a garganta. Com o meu copito no bucho para combater o relento da noite e assim entrar de corpo e alma na súcia, para espanto de todos, dei também em lançar a minha quadra que o silêncio da noite transformava em cantar celestial ao roçar as orelhas dos presentes. E riam, e puxavam por mim, e acicatavam, e davam-me corda e guita e eu a corresponder, à letra, para espanto geral e incontido orgulho do meu tio. E ai dele se no ano seguinte não levasse o poeta petiz.
Mas de tais quadras ditas de improviso nessas noites de descantes e guitarradas não me ficou o menor registo, pelo que não contam, apesar de, em bom rigor, ter sido aí e dessa forma que despontou e despertou esta minha queda para a trova.

[1] Carrazedo - O lugar de Carrazedo encontra-se implantado num outeiro que se ergue à beira da Estrada Municipal 514.O viandante que percorra as suas ruas pode apreciar a sua Igreja dedicada ao Salvador do Mundo, onde imperam os estilos maneirista, barroco e neoclássico. A sua fachada principal apresenta-se rematada com empena truncada por campanário. No seu interior destacam-se os retábulos do altar-mor e da capela de Nossa Senhora do Rosário, em talha dourada do barroco nacional, e que denunciam o início da transição para o estilo joanino. Conserva belos tectos de caixotões na capela-mor e na capela lateral, com pinturas retratando Santos e o Apostolado. Seguindo os diversos cruzeiros que compõem a Via-sacra de Carrazedo, o visitante passará pela seiscentista Capela de Nossa Senhora da Conceição, antecedida por um calvário, e que se localiza em frente da Quinta da Moita, hoje ligada ao turismo rural. Depois, mais perto da Igreja, poderá apreciar uma casa seiscentista com austera escadaria de granito ornamentada com volutas.·Seguindo um pouco mais em frente, até ao termo da povoação, no caminho que vai para Pinheiros, poderá parar e apreciar a pequena Capela do Senhor do Calvário e um singelo nicho que se implanta no seu terreiro.

[2] Pinheiros - À direita, ao fundo da encosta declivosa, corre o Rio Tedo. Mas ameniza-se o aspecto agreste e granítico da paisagem à entrada de Pinheiros, cujo casario mais antigo se abriga num resguardo de montanha, voltado a sul. Na praça central, há um esguio cruzeiro. O adro da Igreja, mais adiante, rodeia-se de belas casas de cantaria. A própria Igreja Matriz é de boa cantaria. A data inscrita no pórtico principal - 1719 - lembra obras importantes de reedificação, talvez as da sineira lateral. O altar-mor, de talha barroca (séc. XVIII), guarda uma bela imagem de Nossa Senhora com o Menino, a quem oferecem cordões de oiro e outros ex-votos. O tecto da capela-mor apresenta 20 caixotões pintados com figuras de santos. Stª. Eufémia é a padroeira.Em Pinheiros há um santuário rupestre chamado Cabeço das Pombas, um afloramento granítico onde podemos encontrar inúmeras gravuras pré-históricas de conotação simbólico-religiosa. Em Carrazedo, podemos ver a Capela do Nosso Senhor do Calvário e um nicho com um Sr. dos Aflitos, pintado numa cruz de madeira.Todos os anos o povo de Carrazedo ali vai em festa e carrega a imagem em procissão por um caminho de 600 metros até ao coração da aldeia onde está a Igreja, que vale a pena visitar. No sítio da Torrinha, há ainda a Capela da Nossa Senhora da Conceição, cuja construção teve início em 1679.
(CONTINUA)

37 Comentários:

  • Às 22 de novembro de 2009 às 21:47 , Blogger Laura disse...

    Moço Moa, descreves tudo tão bem que me senti ali ao lado a ouvir-te!Xi, sabes de contrução antiga, bizantina, arquitectura de todos os tempos, barrocos e neoliticos, enfim, granitos e mais itos, és diplomado em tudo e que me apraz registar tanta cultura neste rapaz que eu infelizmente, nem comnhecia...Como soe dizer-se; mais vale tarde que nunca! Amei conhecer-te, amei aqueles dias em que todos juntos, falamos plos cotovelos e não só, falamos com a alma e o coração!

    Ehh, com que então foi pla mão do Tio que o menino e iniciou nas artes? Quem havia de dizer, se já tens tanta brejeirice agora, imagino naquela idade em que não temos ainda vergonha nenhuma! Devias cantara finadinho...

    Um beijinho e obrigada por nos dares a conhecer aspectos da terra que ficamos todos a amar...linda, linda...laura

     
  • Às 22 de novembro de 2009 às 22:55 , Blogger Kim disse...

    André!
    A tua vida dava dois filmes.
    Já em puto devias ser um bom rapazinho.
    E essa memória está aí a cem por cento. Exercitá-la aumenta a longevidade.
    Gostei deste caminhar por terras desconhecidas. Fico à espera do resto.
    Grande abraço

     
  • Às 23 de novembro de 2009 às 09:17 , Blogger Osvaldo disse...

    Caro irmão;

    Se a autarquia não te homenageia com este testemunho que dás e promoção que fazes de um histórico Concelho,... será uma grande injustiça.

    Ficarei atento à segunda parte, ou terás mais partes?!... Será que há um novo livro na forge?. Tabuaço bem merece.

    Um abraço, irmão.
    Osvaldo

     
  • Às 23 de novembro de 2009 às 09:26 , Blogger Laura disse...

    Ahhh,Moa, ahhhh, agora entendi!...e entendi porque o Osvaldo dizia que dos sessenta, prós oitenta, passaria!

    essa do verso acima
    não a conhecia eu
    mas que rima até rima.

    Quando li nem entendi
    a mirífica euforia
    a corporal sinfonia.

    só depois percebi
    entre risos e sorrisos
    ao que a coisa se referia.

    Se aos sessenta
    ainda se tenta
    e porque não se assenta!

    Se aos setenta
    só se senta
    cum raio, porque não se tenta?

    Haverá muitos e muitos
    que nem por isso passaram
    ou acaso jejuaram.

    É que disso ê cá nã sei
    como diz o Alentejano
    além de que nada sei.

    Nunca tive quem me explicasse
    essa coisa já de si
    tão complicada.

    O manel não dá lições
    a propósito de nada
    assim tiro as conclusões

    de que aos sessenta
    só se tenta
    e quem sabe inda se aguenta!

    E se aos setenta
    se senta quem sabe
    compra-se uma sebenta!

    e a ler e aprender junto
    a gente ainda tenta
    ver se a coisa assenta!...


    Ahhh, ora bem, toma lá os meus primeiros versos sobre o assunto que plos vistos, bole com muita gente!... Cá por mim nem de agora, nem antes, nem depois, já me deixei de puxar a corda, pra enxotar os bois!...

    Beijinhos ó Moa, e, passemos aos oitentas!...

     
  • Às 23 de novembro de 2009 às 09:36 , Blogger Bichodeconta disse...

    Bom dia, o que eu já ri.Sem stres. Há por aí muita gente com menos de sessenta que há muito que não setenta. Há até quem se aguenta com alguém que nunca setenta. Direi mesmo que há gente de vinte que setenta, não se aguenta.
    Abreijos

     
  • Às 23 de novembro de 2009 às 09:40 , Blogger Bichodeconta disse...

    E eu que sou pessoa atenta, sei que há quem com setenta, não sesenta, avança e aguenta. As águas da fonte da Moa deviam ter um pó de perlimpimpim. Lá pró meu Alentejo também há águas mágicas. Quem não bebeu, bebesse!Abreijos

     
  • Às 23 de novembro de 2009 às 11:52 , Blogger Laura disse...

    ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, bichinho de conta, o que me contas e nada me espanta...é que pela treta das amigas, eu chego lá!...

    Se os de vinte por vezes
    não conseguem acompanhar
    os que andam à mais tempo
    sem vontade de s'sentar.

    Que farão os de setenta
    que quase chegam aos 80
    com tudo bem aviado
    e não perdem um bocado!

    Muito me ri com a poesia
    que o Moa começou
    se de pouco eu sabia
    em muito se multiplicou.

    Ora vamos lá com calma
    pra não assustar o pessoal
    e agora é que eu vejo
    que a escolha acertada.

    Será uma mulher mais velha
    a escolher rapaziada
    se não a pobre vai passar
    toda a vida a'ssentada.

    E por isso as escolhas
    da mulher endinheirada
    botam os velhotes fora
    e vivá rapaziada!...

    Continuem, ai pessoal, pessoal, vá lá, esgalho-me de tanto riso e isso é apenas o que preciso...de rir...
    beijinhos a todos..laura

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 00:27 , Blogger Laura disse...

    Moa, desculpa lá ó rapaz, mas devia falar de Construções, Igrejas, estilos Bizantino, Barroco, Rococó, mas, acabei por me desviar do caminho!...Tudo à conta dos sessentas, ou setentas enfim...já lá está e é para ficar, o resto do pessoal anda muito friorento, não desgrudam da lareira é o que é, mas, eu cá vou indo, feliz por me rir e acho que vos faço rir também...
    Beijinhos, não estive na net `a noite, fui acabar a guarda roupa para dia 5 - 6 - 7 e por aí fora... laura

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 09:57 , Blogger Je Vois la Vie en Vert disse...

    Uma visita guiada à tua vida e à tua terra com um guia de grande classe !


    BEIJINHOS DA

    Verdinha

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 12:20 , Blogger Laura disse...

    Vamos plo que diz a Verdinha, a visita guiada mas por dois cicerones, os melhores até hoje, suponho, pois poucos mostram a sua terra!... e dessa forma, ah, que lindo... se todos tivesse a sorte grande que tivemos ao conhecer tabuaço...mas isso destina-se a bem poucos.. Beijinhos e andamos ao sol ou debaixo de chuva? o pessoal escapuliu-se..laura
    Moa,aquele abraço apertado, d'esganar...

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 13:35 , Anonymous Dad disse...

    Boa descrição de um apaixonado pela sua terra!

    Gostei do que li por aqui!
    Beijinhosssssssssssss

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 16:04 , Blogger Andre Moa disse...

    Caríssimas amigas,
    Caríssimos amigos,

    Bastou não vir aqui um dia, para hoje ser surpreendido por tantos e tão gostosos comentários. Bem-hajam todos. Vou, até para ser breve, tentar dar uma resposta colectiva.
    Começo por informar que o transcrito neste post corresponde ao início de um livro que estou a compilar e que pretende ser uma antologia da poesia escrita nos últimos sessenta anos, dos setenta que já cá cantam, sob o título AOS SETENTA só SESSENTA DE POESIA. O poemazinho de entrada fi-lo agora, decalcado no adágio brejeiro que muitos conhecem, menos a Laura, pelos vistos, que, brincando com as palavras, reza assim: «aos sessenta ainda se tenta; aos setenta só se senta. Aliás o título da compilação já se baseia neste dito popular e foi inspirado por ele. Lembrei-me de ir comungando convosco, através do blogue, o que for escrevendo, daí a ameaça de que esta saga (esta seca para quem não gostar) vai continuar.
    Amigo Kim,
    Se a minha vida dá para dois filmes, como dizes, como já tenho o que rodaste há dias, só falta mais um. Será, por ventura, o que for por ti rodado no próximo dia seis. Graças a ti, meu bom e grande amigo, a minha vida vai ficar com registos fílmicos de tomo.
    Não digas isso, irmão Osvaldo. Olha quem fala! Tu, sim, tu é que divulgas e com que valor e ternura o nosso concelho, até por terras estrangeiras, direi mesmo a nível planetário. E se mais e melhor não fizeste foi porque não tiveste o devido eco nas autoridades locais. Que pena! Que perda para o concelho! De qualquer modo, e como procuro não ser ingrato,bem-hajas pela campanha promocional que fazes cá do rapaz.
    Cara Bichinhodeconta,
    Bem bom. Rir a bandeiras despregadas, sem stresse, viver a vida o melhor que pudermos e soubermos, ora tentando, ora sentando o real assento traseiro no sofá, a rir, a rir, nem que nos encharquemos a suar mijo por tanto rir, bem poderá ser uma das boas intenções deste blogue. Graças à vossa prestimosa colaboração e boa vontade temo-lo conseguido. Todos juntos seremos capazes de manter esta chama viva onde quer que vivamos.
    Cara Verdinha, merci bien. Um abração ao teu Leo.
    É isso aí, Laurinha, o seu a seu dono. O Osvaldo é um grande guia no que toca a arte e ao concelho de Tabuaço. E não só. Bastará ver no seu blogue as magníficas reportagens acompanhadas de soberebas fotos sobre Portugal inteiro e outras maravilhas espalhadas por esse mundo fora.
    Já que está na hora de atribuir o seu a seu dono,
    os comentários em rodapé sobre Carrazedo e Pinheiros, bem como as fotos, tirei-as da net, do site do Concelho de Tabuaço e são da autoria de Dr. Gustavo almeida, grande apaixonado e estudioso de tudo quanto de belo e raro possui o concelho.
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 17:31 , Blogger Laura disse...

    Moa, quis apenas brincar e nada mais, já que ouvi falar nessa expressão malandra sobre as idades etc etc. etcetera!...espero que não te chateies, acredita que só me ri a escrever e sendo assim...desculpa, será que não gostas? foi mesmo para rir...
    Como é, se vires que não está a preceito, apaga-se e pronto...apago?
    nem me faz mossa, não se gosta, apaga-se, mas! ...

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 18:27 , Blogger Laura disse...

    Moa, náninaná, os setenta só cantam daqui a dias ou não é?

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 20:12 , Blogger Andre Moa disse...

    Claro que gostei, cara Laura. Eu gosto do teu riso, das tuas brincadeiras, eu gosto de ti.
    Beijinhos.
    André Moa

     
  • Às 24 de novembro de 2009 às 22:41 , Blogger Laura disse...

    Ufa, ufa que peso me tiarste de cima, estou com a estrelinha no gmail e esperamos por ti, a esta hora já não vens...beijinhos e até amanhã e nana bem, laura

     
  • Às 26 de novembro de 2009 às 10:14 , Blogger laura disse...

    Mais um dia
    um dia a mais
    e outro a menos
    para soltarmos nossos ais.

    Mas que mais faz
    um dia a mais
    um dia a menos
    se em breve nos juntaremos.

    hoje vou prá galderice
    e aproveito pra namorar
    se há quem me ache nice
    há que aproveitar.

    venho apenas deixar
    saudades para todos
    e amor muito amor
    amor a rodos!...

    Meninas bichinho de conta? nina Brancamar? tão, verdinha? ó balha-me, tenho de dar este site à soledade, ela põe tudo nos eixos!... Beijinhos, muitos, da, laura

     
  • Às 26 de novembro de 2009 às 14:20 , Blogger Andre Moa disse...

    Laurinha,
    gostei muito desta tua nova arremetida poética.
    Beijinhos
    André Moa

     
  • Às 26 de novembro de 2009 às 18:49 , Blogger Bichodeconta disse...

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • Às 26 de novembro de 2009 às 18:51 , Blogger Bichodeconta disse...

    Venho dar as boas noites
    O dia já terminou
    Laurinha pára nos ovos
    Que ainda somos todos novos
    E o dia de Stº almoço
    Claro que ainda não chegou.

    Precisas de energia
    Quando chegar esse dia
    Só pra cantar e bailar
    Muda a senha do pc
    Trás contigo a alegria
    Mas não sei cá bem porque
    O Manel vai lá espreitar.
    E pelo sim pelo não
    Com um pc sempre á mão
    Ainda vai a chatear.

    Trás a alegria e sorriso
    Trás tudo o que é preciso
    Ficas entre gente boa
    Eu não sei se lá vou estar
    Sei que ficas bem entregue
    Sempre a dançar com o Moa.

    Nem parece coisa nossa
    E digo cá para mim.
    É a Laura mais o Moa
    Entre tanta gente boa
    E ninguém fala afinal
    Do grande Osvaldo e do Kim
    Abreijos

     
  • Às 26 de novembro de 2009 às 22:35 , Blogger laura disse...

    Bichinho de conta!

    Essa de parar nos ovos
    decerto nunca a ouvi
    é que só de olhar prós lados
    penso que os ovos já parti.

    Energia só p'ra bailar
    que a cantar desafino
    mas se comigo dançarem
    ai não que não perco o tino.

    O manel não sabe a senha
    e dali não há mal que advenha
    se levo comigo a alegria
    também levo a ironia.

    Quanto a dançar com o Moa
    acredita que nem sei
    se no salão haverá pista
    para que possamos dar nas vistas.

    se escolhi dançar com o Moa
    deu pra ver que é bailarino
    sabe dançar como poucos
    e acredita que tem ritmo.

    O kim pra mal dos meus pecados
    canta bem que nem te digo
    mas para trocar os passos
    ai jesus mas que castigo!...

    O Osvaldo é bom moço
    e porque nem seria?
    se nos dias que juntos estivemos
    ao redor deles, era só alegria.

    Calhou falar-se no Moa
    e de ser meu par de eleição
    mas tanto faz se for ele
    ou qualquer outro cidadão.Moa, ai isso é q não!)

    E como está combinado
    combinado ficou
    ele dançar cá comigo
    e ele com quem lá dançou!...

    Ahhh, foi o que saíu, foi o que se viu... na verdade o manel nem se rala se eu for e alguém tem de ficar com o shaka e...
    Bichinho de conta é na maior na brincadeira e sai assim e fica assim...beijinhos, laura

     
  • Às 26 de novembro de 2009 às 22:36 , Blogger laura disse...

    Moa, tens o relógio sem corda, postei pelas 22,34 e olháshoras...acerta-o...senão no dia da festa guias-te por ele e ficas em casa e eu á tua espera pra abrir o baile...
    beijinhos a todos, todos boa gente, ora pois...Nem duvidem..laura

     
  • Às 27 de novembro de 2009 às 00:02 , Blogger Andre Moa disse...

    Cheguei hoje à conclusão
    que o bichinho de conta
    não me dá seu coração,
    não me tem em grande conta.

    Se gostos não se discutem
    se teus gostos são assim,
    que os teus rogos escutem
    o Osvaldo e o Kim.

    Menos uma concorrente
    para a Laura bailarina.
    A pista é só para a gente.
    Só falta a concertina.

    Os ovos são para comer
    ou serão para atirar?
    Ai que já me estou a ver
    a ovos podres cheirar!

    Laura, espero te consoles,
    comendo os ovos primeiro.
    Eu prfefiro os ovos moles
    da doçaria de Aveiro.

    E foi o que se pôde arranjar, momentos antes de me deitar.
    Abreijos~
    André Moa

     
  • Às 27 de novembro de 2009 às 08:55 , Blogger Bichodeconta disse...

    Que conclusão mal tirada
    Sobre este bicho de conta
    Sempre disfarçada
    De Maria Tonta

    Neste pequeno castelo
    Que é o meu coração
    Guardo o tesouro mais belo
    E guardo muita coisa boa
    Guardo o Osvaldo e o Kim
    A Laura e o Mundo inteiro
    No meu mundo está o Moa.

    Se sou concorrente ou não
    Da Laurinha bailarina
    Isso ve-se no salão
    Ao toque da concertina

    Diz que não há concertina
    Deixe isso por minha conta
    É só ligar prá Barrenta(Perto de Rio Maior)
    E a escola de concertinas
    ficará por nossa conta.

    Os ovos servem pra tudo
    Pois até pintos nos dão
    Os podres vamos guadar
    Para mais tarde atirar
    A quem (des)governa a Nação

    Dos ovos moles de Aveiro
    Tão bons que nem quero lembrar
    É que só de falar neles
    Já me sinto a engordar.(Deliciosos)

    Pouco antes de deitar
    Já de pantufa e pijama
    Ó meu Amigo André Moa
    Versejar é coisa boa
    E este é topo de gama.

    Anoiteceu estive aqui
    Já aqui estou, acordei
    Desejo um grande dia
    Muita paz e harmonia
    A quantos aqui falei...

    E claro o desejo de bom dia será eztensivel aos de quem não falei. Abreijos do bichodeconta que vos adora..Dizem que só se adora Deus,
    Mas dizem também que Deus está em toda a parte e em cada um de nós. Seja como for, e porque não me meto com quem não conheço, fica assim. Adoro-vos.Eu gosto e quero acreditar nas pessoas.Gostava de um mundo não com mais dinheiro, mas com mais humanidade, onde as pessoas não vivessem de costas viradas umas prás outras. Perdão por tanto disparete, mas é o meu sentir.

     
  • Às 27 de novembro de 2009 às 10:42 , Blogger Laura disse...

    Bichinho de conta, nada de maria tonta, longe disso, conheço marias e Marias, e digo-te, se cantas como improvisas, ai menina que vais longe...gosto de me ri e de fazer rir, nunca o que que aqui esrevo servirá para magoar alguém, é porque são rimas, é porque são risos é porque tudo, porque gosto de todos!doro ser picada, responder picando e mantendo na mais pura e bela, sã amizade...é isso, ja me devias conhecer, da laura risos e sorrisos que de lágrimas já mas deu a via em demasia...
    Pois fica-te com as minhas palavras que mais não são que desopilares da mente, querer desbravar e plantar matas de sorrisos em todos,sem querer magoar minimamente quem quer que seja.Minha querida Bichinho de conta a Maria tonta sou eu..euzinha para a servir em mil desculpas se dei aso a que se picasse ehhhhhhh...um abraço apertadinho da laura...

     
  • Às 27 de novembro de 2009 às 10:58 , Blogger Laura disse...

    Não foi má conclusão
    de algo da bicho de conta
    foi a minha imperfeição
    a relatar coisas de pouca monta!

    Sei que no teu coração
    a ternura é que conta
    e cabemos lá todos
    ficando por tua conta!

    Concedo-te a primazia
    na dança lá no salão
    ou então façamos assim
    usemos a sentença de Salomão!

    Mas o pobre do Moa
    Se já poucas carnes tem
    Que será dele se o quisermos
    dividir por aí além?

    Não conheço ainda ao vivo
    o toque da concertina
    às tantas será algum som
    que ainda comigo desatina!

    Uma guitarra a gemer
    um guitarrista a tocar
    isso o Moa ia querer
    e eu até ia gostar! (*1)

    Essa de falar nos ovos
    eu ainda não conhecia
    mas ovos por ovos
    os de Aveiro preferia!

    Menina os rapazes lá da festa
    são do melhor que pode haver
    e se tu não te fores ralar
    com todos podemos bailar !

    Ele é homem de farda azul
    Osvaldinho lá dos verdes
    O kim todo vermelhinho
    E o Moa o nosso menino!...

    Ê cá por mim divido tudo
    sou ave de esvoaçar
    voo aqui e ali
    mas nada de preocupar!...

    O que quero é fazer rir
    e em troca rir também
    pois quem é sério demais
    não consola a ninguém!...
    O Moa vai cantar a Balada do Outono, e ler um poema que escrevi ! e uma guitarra seria lindo, mas ele não conhece guitarrista ao pé da porta!... E na verdade não cobeço ainda o som da concertina, acordeão, nenhum, mas um dia, pois pc é uma coisa e natural é outra.
    Beijinhos e abreijos a todos, danço com todos, assim todos me aguentem, só que como não tenho treinado, já não sei se caio redonda no chão ou se fico em cima das canetas até serem horas de acabar o bailarico... e cá para nós, desconfio que no restaurante nem há sitio para esticar a perna, será? Há lugar? Musica?
    Moa, tens aqui um património de cantares e versejares que devias guardar e olha que eu nem me lembrei d guardar o que escrevi, ah, tens a primazia!... podes editar ejhhhhhhhhhh beijinhos sem fim..laura

     
  • Às 27 de novembro de 2009 às 11:19 , Blogger Bichodeconta disse...

    Laurinha não estou zangada
    Que zangada não sei estar
    Quero rir quero brincar
    Quero que o mundo avance
    E cada um de nós alcance
    Na vida todo o bem estar.

    Não seja doida menina
    Se gosta assim de dançar
    Ao som de uma concertina
    Ninguém consegue parar.

    Abreijos. Eu lá sou pessoa de me zangar assim Laura, de me picar? Eu sou brincalhona, alegre, amiga, mas sou como a lagartixa.Se me pisam o sim senhor..... O mundo por mim seria de paz e amor, sem me incomodar com coisas comezinhas. Este lugar não me servirá para magoar quem quer que seja, embora por vezes cada um faça a interpretação errada e .... Abreijos. Continua assim que assim gostamos de ti..

     
  • Às 27 de novembro de 2009 às 12:16 , Blogger Laura disse...

    Todos os que por cá andam
    gostam que o mundo avance
    mas nem todos sabem dar
    ao mundo mais uma chance!(apenas pa rimar)

    Como já te expliquei
    concertina é som desconhecido
    e sei lá se bato o pé
    ou se nem mexe comigo!

    mas se for assim tão bom
    como já estás a dizer
    eu nem terei mão em mim
    e algo vai acontecer!

    Espero sair dali
    inteirinha e feliz
    esperando ter convites
    pra bisar com muitos Bis!

    Sei que és uma nina linda
    e nunca feia te vou achar
    sei que queres o mundo em amor
    e na terra em paz morar!

    Neste lugar de paz, não fazemos interpretações erradas, apenas queremos versejar e claro está, rimar!...é por isso que rimo ou desrimo , ou todos rimamos ou desrimamos, mas a todos queremos e a todos nos amamos...
    Beijinhos a todos na santa paz!...
    gosto da palavra abreijos, soa bem, sabe-me a cerejas, na sua época, o meu fruto mais desejado...
    laura

     
  • Às 27 de novembro de 2009 às 12:18 , Blogger Laura disse...

    Ai stor Moa, me desculpe este palavrão que se lê assim (((E na verdade não cobeço)))e devia ler-se assim; não conheço! irra que o teclado passa depressa demais à frente dos meus dedos....e tem mais gralhas, mas, desculpem lá é o maldito do teclado, ora pois...

     
  • Às 28 de novembro de 2009 às 12:57 , Blogger Je Vois la Vie en Vert disse...

    O nosso amigo Moa
    Deves estar num Boa
    Está a treinar a voz
    Bela e afinadinha
    Para apresentar a vós
    E à sua musa Laurinha

    A linda Balada de Outono
    Numa voz de Barítono ?
    Será com o timbre de tenor
    Nesta obra do Zeca Afonso
    Que descobrirá este pormenor
    Cada um no seu esconso ?

    A Verdinha e a sua poesia espontânea pede desculpa pela fraqueza do poema mas como já viu que aqui só se fala em versos, tem que vestir a burka de poetisa.... que não lhe fica mesmo nada bem mas enfim...cada sítio as suas tradições e já que andei com lenço na cabeça no Irão, aqui virei vestida de fraca poetisa mas virei !

    Beijinhos

    Verdinha

     
  • Às 28 de novembro de 2009 às 13:22 , Blogger Bichodeconta disse...

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • Às 28 de novembro de 2009 às 13:24 , Blogger Bichodeconta disse...

    Verdinha que disparate
    O poema é tentador
    Não digas que escreves mal
    Ou ainda mudas de cor.

    Com burka de poetisa
    E o lenço do Irão
    Menina quando chegar
    Todo o baile vai parar
    Vai fazer um figurão.

    Também esperamos ouvir
    Cantar essa bela vós
    Pra dançar e divertir
    Pra gaudio de todos nós.

    E se a voz estiver em baixo
    Também zangada não fico
    Mas não te faças de fina
    E entra no Bailarico

    Guitarra e concertina
    Se não há fico em choque
    Mas quem sabe se consigo
    Pedir a um nosso amigo
    Que empreste o Karaoke.

    Beijinho verdinha linda
    Gostamos do teu escrever
    Levas também um abraço
    Pra não morreres de cançasso
    Dos meus disparates ler.
    Abreijos

     
  • Às 28 de novembro de 2009 às 13:28 , Blogger Laura disse...

    Ora muito bom dia a toda a gente, que andam tão ocupados, mas tão ocupados que nem sei o que prá'i fazem!

    Está frio muito frio
    ou seja antes, briol
    e eu feita de tolinha
    saí para apanhar sol.

    Mas pelo sim pelo não
    levei um guarda-chuva
    e mais um casacão
    e acertei na previsão!(choveu)

    Andei plas ruas da cidade
    a trocar passos sozinha
    parei na Brasileira
    e reparei num lugar

    Que já foi o nosso lugar
    naquele 10 de Junho
    onde estive com a Luisa e o Kim
    foi lá que combinamos nos encontrar.

    Eu bem olhei, a mesa estava lá
    só as pessoas mudaram
    e eu também mudei
    e dali,triste, desandei.

    E fui p'la rua a perguntar
    porque as pessoas que se gostam
    precisam de todos se afastar
    e só raramente se podem abraçar!

    Confortou-me o lembrar
    que um certo dia está a chegar
    e depois com alegria
    a todos vou abraçar!...

    Beijinho repenicadinho, a todos, da laura..que regresssou do passeio à cidade de pilhas recarregadas, andei à chuva com alegria, pois em miuda adorava andar assim, molhava-me e depois? depois o chinelo da dona Elisa entrava em funções, ora pois...e que mais fazia se era uma a mais uma a menos!
    Beijinhos e agora v meter-me no carrito e até lá,em Amares, por ali...arrumar cartas, agrafar papeladas e guardar nas pastas próprias, a filha para isso é canja, faz tudo...
    Beijinhos e até loguinho..laura

     
  • Às 28 de novembro de 2009 às 19:05 , Blogger Laura disse...

    Verdinha;
    Musa eu? de quem?
    pobre da cotinha
    pois cotinha não é musa
    e muito menos musinha.

    O Moa tem ensaiado
    e já cantou noutros lados
    a balada do Zeca Afonso
    e não nos vai deixar envergonhados.

    Se a Ell pudesse arranjar
    um microfone a valer
    e uma guitarra a gemer
    que bom que iria ser.

    Pois podiam acompanhar
    cada canção com sua musica
    e todos podiam cantar
    até cansar...

    Já estou a adivinhar
    que a festa vai ser d'arromba
    e o dono do restaurante
    a porta nos vai fechar.

    pois serão tantas cantorias
    e tão belas melodias
    que a gente so vai sair de lá
    dali a dias...

    Beijinhos, muitos, e, cuidem-se até lá!...laura

     
  • Às 29 de novembro de 2009 às 00:47 , Blogger Andre Moa disse...

    Queridas amigas:

    Não se zanguem, por favor!
    Distribuirei meu amor
    por quem meu amor quiser.
    Seja loira ou morena,
    alta, média ou pequena,
    só precisa ser mulher.

    Bailarei com todas vós,
    cantarei com a minha voz,
    como souber, sem receio.
    Só vos peço um favorzinho:
    tenham pena, sou magrinho,
    não me rachem meio-a-meio.

    Percebo a vossa justiça,
    mas rachar-me ao meio? Chiça!
    Que se lixe Salomão!
    Dançarei até de gatas,
    em duas ou quatro patas,
    mas rachar-me ao meio, não!

    Podem rasgar-me o casaco,
    transformarem-me em macaco,
    pôr-me em farrapos a blusa;
    mas rachar um magricela
    que só tem pele e costela?!
    Há muito que se não usa.

    E que irieis vós lucrar,
    Dançar comigo a sangrar,
    até caír de exaustão?
    Compagneras de mi vida,
    só vivo vos dou guarida
    neste vosso coração.

    Abreijos para todas e todos.
    André Moa

     
  • Às 29 de novembro de 2009 às 09:51 , Blogger Laura disse...

    Ahhh, agora vou ter que sair, o aeroporto é meu local de poisa, levanta gente, enfim, vou buscar a pariga e mais logo cá volto com a costumeira cantiga!...beijinhos de anos, anos e muitos anos, ehhh Parabéns..e se fosses ao resteas?

     
  • Às 29 de novembro de 2009 às 18:08 , Blogger Bichodeconta disse...

    Moa , grande amigo, grande homen eu já não posso de tanto rir com estes versos. A verdade é que neste desafio temo-nos divertido, eu pelo menos tenho rido a valer e a tentativa de rimar faz um óptimo exercício ao cérebro.


    Fica então a promessa
    Ó meu amigo ora essa
    Era só o que faltava
    Partir o rapaz ao meio
    Se tanta falta nos faz
    Pra continuar o paleio.

    Dance lá com a Laurinha
    Com a Ana com a Teresa
    Que eu até danço sózinha
    Disso podem ter certeza.

    Não pode ser só dançar
    Escuta esta amigo Moa
    Só com costelas e pele
    Se não se alimentar bem
    Dá cabo de uma pessoa.

    Abreijos.

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...