SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

quinta-feira, 15 de julho de 2010

CICLO PAIXÃO




CAMINHO PORQUE CAMINHO

Os caminhos são para caminhar.
Eis porque caminho,
Como robô automatizado.
Meus pés movem-se indiferentes
Como peças dum conjunto muscular,
Como lagartas blindadas
Num corpo todo de aço,
Mas é um caminhar irracional
E mecanizado.
Um caminhar no vazio e no nada
Porque não sei e não sinto.
Sou como um mar duvidoso
De águas profundas que,
De tão profundas, nada
Se divisa, nem à superfície.
Aonde vai dar o caminho
Que os meus pés percorrem?
Ninguém sabe...
E porque os meus pés percorrem
O caminho que ninguém conhece?
Porque os meus pés foram feitos para caminhar,
E por isso eu caminho.
Paixão Lima

Apontamentos anticancro 28«Quando liguei aos meus pais, apesar do meu “ensaio” com os meus irmãos, não fazia ideia como iria fazê-lo. Passo a passo, segui as regras que ensinava aos meus colegas.
Primeiro, expor sucintamente os factos: Pai, descobri que tenho um tumor no cérebro.
Segundo, esperar. Não preencher o silêncio com palavras vãs. Ouvi-o engolir em seco. – David, não pode ser…
Passei à terceira fase. Falar dos passos concretos. - Vou arranjar um cirurgião que me opere o mais depressa possível. Ele ouvira e aceitara ».Do livro «Anticancro – um novo estilo de vida» de David Servan-Schreiber.

11 Comentários:

  • Às 16 de julho de 2010 às 18:03 , Blogger getta disse...

    Paixão:
    Enquanto caminhas...atenta nestes

    SEGREDOS

    chovo-me folhas
    em abano de árvore.
    banho-me de pingos
    com picos achuviscados.
    cuspo pés de relva
    mas abocanho terras.
    bitroncaliso galhos
    para manusear estalidos.
    atropelo-me por bichinhos
    para xinguilar-me em cócegas.
    salivo sóis
    podo língua em estendal.
    furo peles
    para o chão sanguenhecer-me
    desatribuo vestes
    chibatando-me de ventos.
    desorbito olhos ...

     
  • Às 16 de julho de 2010 às 18:16 , Blogger getta disse...

    ...
    e reorbito-me luas
    para fraldas
    uso nuvens.
    afogueio-me fumos
    desumanizando cheiros.
    para iluminar mundos
    invento pirilampos.
    enquerendo saltitar
    apulgo-me.
    em comichões
    aguardo terramotos.
    para repaz
    procuro âmagos.
    chovo-me lágrimas
    em sacudir de mins.
    para segredos húmidos...
    só respeito a lesma.

    POEMA DE ONDJAKI em PRENDISAJENS...

    Penso que não cometi nenhum erro

    Mil abraços para ti e para o Moa.
    Getta.
    Enquanto caminhas...
    ouve e vê pelo caminhho.

     
  • Às 16 de julho de 2010 às 19:08 , Blogger Maria disse...

    Caminheiro


    Por que caminho caminhas?
    Pelo do mar ou da terra?
    Pelos caminhos da guerra
    Ou da paz sem grandes rinhas?
    É caminho de verdade
    Ou andas em pensamento?
    Às vezes, por um momento,
    Estes dão felicidade.
    Porque caminho tu vais?
    Tem destino ou não tem fim?
    Amigo acredita em mim.
    Se não sabes onde sais,
    Volta atrás, não andes mais.
    Fica no sitio em que estás
    Não andes sem ter destino.
    Toma teu rumo, menino.
    Se não tens aonde vás.


    Maria

     
  • Às 16 de julho de 2010 às 23:26 , Blogger Andre Moa disse...

    Maria, que tão bem dizes
    o que sentes, o que pensas,
    o que são tuas lembranças
    e transmites sem deslizes.
    Maria, sempre que leio
    o que o coração te diz,
    sinto-me outro, mais feliz
    e nos teus textos me enleio.
    E afirmo sem receio
    de errar ou parecer louco:
    é pena escreveres tão pouco,
    partes-me o prazer a meio.
    E acabou-se o recreio.
    Vou tão só acrescentar
    que gosto do teu cantar.
    Basta, Moa, de paleio.
    Beijinhos
    André Moa

     
  • Às 17 de julho de 2010 às 08:33 , Blogger Laura disse...

    Caminhas
    porque vieste para caminhar
    para palmilhar
    caminhos de dor
    onde o amor se diluía no tempo
    onde viste o tempo fugir
    à tua frente
    tentando reter
    o tempo que já deixou
    de ser tempo
    para viveres em desalento.

    Mas o tempo foi-te dado
    para fazeres dele
    tudo o que quisesses
    e com tempo conseguirás
    dar asas ao tempo
    voar através do firmamento
    qual anjo-diabo (pa rimar abaixo)
    em mágoas afogado
    tentando trazer de longe
    aquele tempo sem tempo
    que continuará a levar
    o teu caminhar
    para o lado oposto
    de onde desejarias estar.

    Acredito que neste momento sentes os passos em Tabuaço, naquelas serras lindas, ó caminheiro da vida, deixa os teus passos andar, nem queiras correr, não sabes que caminhos vais ainda encontrar! e como o tempo é o senhor das surpresas, bora lá espreitar a vida...

    Da pariga de Braga que já caminhou a teu lado pelos caminhos de Tabuaço... recordação inolvidável da vida, lembranças de um fantasma de azul que me apareceu em sonhos ...

    Aquele apertadinho abraço da laura.

     
  • Às 17 de julho de 2010 às 12:15 , Blogger Paixão Lima disse...

    Getta,
    Gostei do poema de Ondjaki. Parece-me tão interessante que resolvi adquirir o livro. Agradeço o teu comentário espirituoso. E, enquanto caminho, cumprimento-te com afecto.
    Um beijo.

     
  • Às 17 de julho de 2010 às 12:34 , Blogger Paixão Lima disse...

    Querida Maria,
    Apreciei devidamente o seu poema. E gostei do que diz e da forma como o diz. O caminhar é um esforço solitário e individual. Ninguém caminha com os pés dos outros. Se caminhamos bem e no sentido correcto é subjectivo. Agradeço os seus sábios conselhos que podem ser verdadeiros ou não. Mas fica a intenção de pretender iluminar e orientar o meu caminho e a forma do meu caminhar. Registo, com apreço, o facto de tratar-me de menino. Presumo que com ternura. Quase me apeteceu pedir-lhe colo. Muitos beijinhos, querida Maria.

     
  • Às 17 de julho de 2010 às 13:59 , Blogger Paixão Lima disse...

    Querida Laurita,
    Como é bom sentir-te de novo. Pregaste um grande susto cá ao rapaz. Felizmente que ELE disse que vai tudo correr bem. Gostei muito do teu Poema. Um dos teus melhores poemas. Muitos parabéns, Amiga Poeta. És como o vinho do Porto (ou o moscatel). Com o decorrer do tempo vai ficando melhor.
    Caminhamos juntos em Tabuaço nas margens do Tedo, na companhia do D.Thedon, do Moa, do António e da Castelã. Que bons momentos passamos no palácio de D. Arranca. O fantasma azul é um anjo de bem-fazer e estará sempre a teu lado para ajudar-te a caminhar.
    Muitos beijinhos e aquele abraço (apertadinho).

     
  • Às 17 de julho de 2010 às 14:23 , Blogger Maga e Joao disse...

    Querido Paixão
    Eu tenho colo que chega para todos. Meninos meus, meninos novos, meninos desencantados. Mesmo frágil, a alma e o coração chegam para todos os que gosto.
    Beijinho
    Maria

     
  • Às 17 de julho de 2010 às 17:59 , Blogger Osvaldo disse...

    Caro Paixào;

    E como o Rei mandou andar e pra frente é que é caminho,... vamos lá caminhar até ao fim da caminhada.
    Um grande abraço, amigo e conterrâneo.
    Osvaldo

     
  • Às 17 de julho de 2010 às 18:58 , Blogger Paixão Lima disse...

    Caro Osvaldo,
    Um conselho com sabedoria e que vou tratar de seguir. Caminhar em frente e sem vacilações. O Rei manda. Viva o Rei!
    Um abração, Amigão .

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...