SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011


DE GRAU 8 COLECÇÃO GAIVOTA/35
SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA
1984
II

ESPAÇO DISPONÍVEL (CONTINUAÇÃO)

DE GRAU 8 COLECÇÃO GAIVOTA/35SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA1984


II



ESPAÇO DISPONÍVEL

FILAMENTOS

filamentos
não sei de onde
o corpo invadem
de aroma e sons
em leve sopro

DEVANEIO

penteio as tua asas
já se foram

ato caracóis
à luz das brasas

que se ateiam
à tardinha

tão de leve
na memória


EMIGRANTES

emigrantes na própria casa
sucumbimos

destruímos a espécie
beijo
a
beijo

a esmo semeamos
terras de outros
outras terras

filhos pródigos

na hora da vergonha

na hora da agonia

a despropósito da
GRANDE CENA NO LEITO DA MORTE
Quadro de Max Beckmann – 1906


quero estar tranquilo com a vida

limpo como o nu virgem de mulher

desperto como corça na campina

livre como a flor do ácer no Outono
ouro a flutuar
no firmamento da vida


A NOITE
Quadro de Max Beckmann – 1918


a noite não tem tempo

só o espaço ocupa

meu sentimento de culpa

a imaginação nocturna

invade

a razão poluída


VARIAÇÕES SOBRE QUADROS DE MAX BECKMANN


de sangue
de suor
de cio e culpa
um nó no pescoço pendular

uma pausa

um prumo parado

dois passos desfeitos

um acorde final

apressado

o rosto da noite

cai
tranquilo
de sangue
de suor
de cio e culpa


O SONHO

o sonho

é isso

poder

postiço

sono

alado

a criar

mundos

neste

mundo

inani

mado


CLARIDADE DO SUL

quero desfazer as nuvens
que diminuem o azul

só tenho luz se tu vens
claridade do sul

folhas mortas voam tontas
sou sensação primitiva

nunca soube fazer contas
a minha brisa é activa

o céu está carregado
prenuncia tempestade

há muito homem enforcado
que respira liberdade


CINZENTO

cinzento
véu

era um lamento
lançado ao céu

grinalda murcha

vestido alado

mais um sonho

desflorado


NA AMPLIDÃO DA NOITE

à solta os corpos
rasgam vento

labaredas sensuais
só o verde distante arrefecem

na praia em sangue
carpideiras tomam banho

lágrimas suspendem o relento
na amplidão da noite

círios plantados no desespero
crestam a areia submersa

em tempestade de cor
o mar fenece


SUSPENSO DOS TEUS SEIOS

cavaleiro azul das tuas veias

em raptos nocturnos me consumo

voando suspenso dos teus seios


VIRGEM DAS NOITES LASSAS

em apontamento te desenho
na memória do sangue

na curva do sono
a força da alvorada
pousa os lábios

colina húmida
teu rocio

orgia cândida

sorriso matinal

à beira rio


ESTENDI TEU CORPO SONHADO


estendi teu corpo sonhado
sob a latada suposta

uvas sumarentas
teu corpo
foi vinho mosto

do abraço do tempo regressei
com a leveza de um rio que corre a cantar
condensado
no torpor do teu regaço

deixou de ser Outono no mês natural dos pássaros

devolveste-me a alegria buliçosa dos láparos


NO ÍNTIMO DA NOITE


em fogo lento

afago

as tuas formas

a cidade dorme

no teu regaço

seu cansaço



ESPAÇO COMPASSADO

na agitação da seiva
um sussurro da humidade
sempre rubra

enfrentamos
a dança
de olhar vítreo
avançamos
no espaço
com
passado
ao compasso
compassado
dos nossos
passos

gestos fluentes
quais nenúfares
sobre as águas
ganhamos em ternura
e claridade
um arco-íris
de lágrimas

7 Comentários:

  • Às 4 de fevereiro de 2011 às 15:30 , Anonymous Anónimo disse...

    Palavras que são poesia.Que eu não tenho capacidade para descrever,mas que ao lê-las me soam bem e fico sensibilizada.

    Hoje louvo sua esposa,como sua cuidadora.
    "Muita Força para Ela",e muito carinho.
    Para si,que obtenha o resultado desejado pelos novos tratamentos.
    Tudo bom,Abraço grande.
    Anali

     
  • Às 4 de fevereiro de 2011 às 23:52 , Anonymous DAD disse...

    Lindo, este post - cheio de magia poética!
    Adorei!
    Amigo que hoje e sempre a musa não te abandone e que a saúde possa retornar em pleno para manter corpo são em mente sã.
    Beijinhos grandes para ti e família com fim de semana soalheiro!

     
  • Às 6 de fevereiro de 2011 às 11:44 , Blogger Laura disse...

    Tantas palavras de sonho e sofrimento, de alma cheia de poesia, imagino-te nas bonançosas manhãs com o cheiro dos verdes campos, o pipilar dos passarinhos, ó doce harmonia que convida a escrever o que nos vai na alma!

    Tiveste cenários de dor ante os teus olhos, mas quando ainda não tinha acontecido o terramoto, presumo que eras feliz nessa ilha que era um paraíso!

    Um beijinho de bom domingo ao meu querido Amigo companheiro de quase todos os dias,desde que nos conhecemos aqui pela mão do Amigo querido, o Osvaldo que nos apresentou no chat, embora já tivesse ouvido falar em ti... noites e horas, momentos pequeninos, o que fosse, e que bem me sabiam as nossas conversas eivadas de carinho e Amizade!

    Que a vida avance e o sol recomece a brilhar.

    Apertadinho abraço da nina para ti e todos os teus,sem esquecer o pequenino Pintor.

    laura

     
  • Às 6 de fevereiro de 2011 às 12:04 , Blogger Bichodeconta disse...

    Fica um abraço..Fica a minha amizade , fica o desejo de vos abraçar.

     
  • Às 8 de fevereiro de 2011 às 11:48 , Blogger Zé do Cão disse...

    Venho desejar um grande abraço.


     
  • Às 8 de fevereiro de 2011 às 20:27 , Blogger Je Vois la Vie en Vert disse...

    Querido amigo Moa,
    Acabei de rever o excelente filme do nosso amigo Kim, o "Às vezes...Parede".
    Fiquei cheia de saudades !
    Sei que não podes vir ao PC por causa das más ondas mas peço-te para te por bom o mais rapidamente possível para podermos te ouvir declamar os teus lindos poemas e cantar o "Lá longe, ao cair da tarde...".
    Muitos beijinhos verdinhos com amizade
    Verdinha

     
  • Às 9 de fevereiro de 2011 às 21:32 , Blogger Laura disse...

    Longe lá longe, ouvi-te pela primeira vez no dia em que te conheci pessoalmente, 17 ou 18 de Setembro em Rio de Moinhos naquele lar aconchegante onde nos juntamos todos com a família do Osvaldo e Aninhas, ah, foi a primeira vez que ouvi fados e canções com o surfista, soou tão bem na minha alma...

    Verdinha o meu filme guardei-o tão bem que nem sei onde o pus, mas ele aparece já que não tem pernas para fugir.

    beijinhos Moa, melhoras muitas e boas.

    laura

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...