SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

PELA MINHA SAÚDE










SAÚDE A METRO

Pela saúde eu faço tudo, sou capaz de dar tudo, menos o que não tenho e o que não gosto de dar. Com este propósito, experimento muitas mesinhas, submeto-me a tratamentos exóticos. Tudo o que seja do foro naturista atrai-me, partindo do princípio, há muito experienciado de que se não fizer bem, mal também não fará.
Desde Junho que estou a seguir um tratamento naturista que me parece assentar em bases científicas e no velho aforismo: o que é natural é bom. A verdade é que me tenho sentido, física e animicamente, bem, não obstante os valores cancerígenos não terem cessado de subir e os nódulos nos pulmões continuarem a crescer.
Vem um que me diz que o mangostão é que é, e logo eu começo a mangostar. Outro, que devia praticar Chi Kung e Tai Chi Chuan e eu ponho-me de pronto a chikungar e a taichiar
Esta febre de recuperar a saúde dê por onde der, de combater até vencer o cancro que me mina (ou minava, que ou me engano muito ou o desgraçado já estará, no mínimo, a estrebuchar) levou-me a frequentar, no passado sábado, dia 23, um curso intensivo ministrado por mestre Li, um chinês com a bonita idade de 69 primaveras, que há uns anos poisou em terras lusas escolhendo entre estas, para assentar arraiais, a escalabitana capital do Ribatejo. Num dos intervalos, a mestre portuguesa cujas aulas frequento três vezes por semana, abeirou-se do guru oriental que fala pior português que eu chinês (apenas porque ele ousa exprimir-se na língua lusa e eu nem abro o bico, por não saber balbuciar em chinês sequer um «Olá») e falou-lhe de mim e do meu caso, na expectativa de que ele me recomendasse qualquer coisa eficaz. Acabou por me recomendar uns exercícios aparentemente simples, mas que não são tão simples como parecem, que se resumem a um esticar de dedos para a frente e para baixo, ora um, ora outro, ora uns ora outros. Para além de cansarem, levam muito tempo a fazer, dada a sua multiplicidade e a repetição recomendada. Há por isso que aproveitar todos os bocadinhos para os executar.
Esta manhã, ia eu no Metro a caminho de mais uma aula de Chi Kung e de Tai Chi Chuan, deu-me para preencher aquele vazio com os tais exercícios. Para melhor me poder concentrar, fechei os olhos enquanto contava para mim os segundos e os minutos e lá ia alternando a posição dos dedos. Levei nisto um bom quarto de hora até à penúltima estação do meu itinerário. Ao abrir os olhos, deparo com uma senhora sentada â minha frente, a fitar-me de olhos espantados. Os nossos olhares cruzaram-se, eu sorri-lhe, ela quebrou o embaraço, interpelando-me de pronto:
- De que religião é o senhor?
- Eu não sou religioso, minha senhora.
- Parece muçulmano.
- Pareço muçulmano, porquê?
- Não sei bem, mas parece. Eles também usam um gorro na cabeça.
- Isto não é bem um gorro, minha senhora.
- Pois não, é uma boina, mas o senhor estava de olhos fechados e a fazer cá uns trejeitos com os dedos, que até pensei que estava a rezar.
Esbocei um sorriso e atirei para a fogueira a seguinte acha:
- A senhora pensa que os muçulmanos rezam assim, com os dedos, é?
- Não sei bem. Mas como eles se põem em posições esquisitas para rezar, pensei que fosse…
- Muçulmano?
- Sim, muçulmano. O Senhor não vê que eles para rezar até se põem de rabo para o ar?
- De rabo para o ar ou curvados para a frente até tocarem o chão com a cabeça?
- E isso não vem a dar no mesmo?
- Talvez, minha senhora, talvez. Bom dia, vou sair.
- Já agora diga-me: a que santo é que o senhor rezava tão compenetrado e com tanto fervor?
- A nenhum, minha senhora. Limitava-me a curar um cancro que tenho nos pulmões.
- Ai, desculpe! E isso de dedo para cima, dedo para baixo, dará resultado?
- Espero bem que sim. Se não confiasse num bom resultado, acha que me submeteria a tanto?
- Pois, talvez não.
- Bom dia, minha senhora.
- Passe bem, senhor. As suas melhoras.

32 Comentários:

  • Às 27 de janeiro de 2010 às 22:21 , Blogger Laura disse...

    Ai que não me seguro, parece-me que tenho de ir por uma fralda, juro, ufa, estou há mais de cinco minutos nisto de rir a bom rir e só tu meu bom Moa, só tu!e o (minha senhora empregado ali naquelas cenas, ficaram a matar) ela atreveu-se a chamar gorro à nossa boina? nem acredito nem acredito, hoje estou numa de repetir e falar e a escrever a dobrar!
    Tás a ver, o Kim ainda há dias falou de Muçulmanos e agora esta senhora! se não a encontrasses no autocarro,decerto já não me ria tanto como hoje e rir é tão bom, faz tão bem à pele, ao olhar, à alma... nem te digo.
    Que lindo colóquio o vosso, para a próxima faz a mesma a ver se tens os mesmos resultados e encontras uma senhora ainda mais metediça, já sabes o que responder...olha a lata; a que santo estavas a rezar; podias inventar um!... Dizias; ao santo Osvaldo por exemplo, ehhhhhh, quem sabe ela passava a rezar por ti, ou ao S. Moa!...
    Foi lindo, e sabes, ela deve ter chegado a casa e dito que viu um senhor Muçulmano a fazer gestos para rezar que curam e assim, vai fazer como tu, oxalá lhe faça bem...aproveitaste bem o tempo, ora pois...mas que riso meu querido Moa, que riso dobrado...
    Abraço apertadinho da laura.

     
  • Às 27 de janeiro de 2010 às 22:35 , Blogger Laura disse...

    Estavas numa posição esquisita para rezar, e logo num autocarro? isso nem lembraria ao diabo!

    O dita cuja, a senhora, devia ser extraterrestre por ter confundido a tua original e nacional boina, com um turbante muçulmano!...

    Rapaz, continuo a rir a bom rir e estou a ver que o manel vai acordar de noite e interpelar a laura por tanto riso e tão pouco siso...beijinhos.

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 01:33 , Anonymous Anónimo disse...

    A senhora, pobrinha, além de ignorante,é preconceituosa. Não surpreende:é uma ligação natural, rrss

    Abraços.

    São

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 09:16 , Blogger Je Vois la Vie en Vert disse...

    Querido André Moa,

    Pelos vistos, não escapes à religião, ora é falas do Natal e Menino Jesus, ora és d(eu)s e agora passaste a muçulmano ? Já não te vais chamar Moa mas Mao(mé) ou será Moha(met).
    Tens que fazer fotografias das tuas mãos para nos ensinar a fazer os exercícios também !

    Como hei de me despedir agora ?

    Ainda aceitas beijinhos ? vou ter que tapar os meus cabelos, colocar um tchador para entrar na "tua casa" ?
    Faço tudo o que disseres, respeitarei as regras da tua "casa". Se andei com um lenço na cabeça e vestida a rigor quando fui em Isfahan, no Irão, também respeitarei os costumes do teu espaço (mas tive tanto calor !), mesmo que tenha até que andar com burka....Aliás já ando um pouco não dando o meu verdadeiro nome...que tu sabes qual é.

    beijinhos ?

    Verdinha

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 12:09 , Blogger Laura disse...

    Ahhh, olhem a nossa loirinha do grupo, emburkada por aqui, minha nossa, tem lá calma rapariga, preferia ver-te com um (gorro à maomé ehhhh) que nada, queria ver-te com uma boina à Moa, só isso e ficavas lindissima com os cabelos de fora, ah, ganda pinta.
    Imagino o calor que as brukas fazem, credo, mas elas próprias são atrasadas e deixam o homem mandar nelas , são poucas as que se revoltam... que coisa, já agora...
    A senhora foi uma anedota e o Moa aproveitou para o post, ri tanto que já nem sei, só sei que fui dormir bem disposta e ainda me ria sozinha a ver tv, este nosso Moa e o pessoal que encontra durante as suas Orações!...
    Beijinhos, ahhh Maomé, xiça, vi os fios de cabelod ele e já não quis ver os dentes, poças, detestei essa coisa dessa forma , na Turkia, apre...mostram tudo para fazerem dinheiro...laura

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 16:21 , Blogger paula disse...

    Como eu tb já passei por tudo isso e acho que vale tudo...
    Já experimentou o reiki... Fez milagres na minha princesa Maria...
    se quiser saber mais...
    http://www.reikialuzdouniverso.com

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 18:02 , Blogger Maria disse...

    André
    O que é que a senhora tinha com isso?
    Porque fazem as mulheres tantas perguntas?
    Porque será que as portuguesas, em particular, fazem tantas perguntas?
    Porque trarias boina ou turbante?
    Porque estou eu aqui a fazer tantas perguntas?
    Já agora mais uma: Como te sentes?
    Beijinhos
    Maria

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 18:39 , Blogger Bichodeconta disse...

    AI uque já me dói o estomago de tanto rir, Moativeste sorte, imagina que a senhora em vez de achar que eras Muçulmano te ia confundir com coisa pior.Eu queria estar presente sem que soubesses para te ver e ouvir.Moa , a esta hora a senhora ainda deve estar intrigada com essa do dedo pra cima e dedo pra baixo..A posição dé reza dos Muçulmanos em que chegam com a cabeça ao chão é seguramente uma posição perigosa e tu não ousarias tanto.. Não consigo deixar de rir a pensar na senhora a pensar que tinhas de professar alguma religião..Cá pra mim a esta hora ela pensa que tu eras o próprio profeta..E por que a Maria já perguntou, eu espero a resposta para saber como estás..Força de viver não te falta e é verdade, o que não mata , cura.Assim dizia a minha avó..Só que fiquei interessadíssima com essas artes milenares que a avaliar pelo que se ouve de quem conhece, só podem fazer bem..Abreijos.
    A Maria tem razão, porque as pessoas tem de perguntar tudo, tudo menos o que de facto deveriam perguntar ..Ell

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 18:52 , Anonymous DAD disse...

    E eu é que ando no diálogo inter-religioso...

    Essa foi boa!
    Beijinho,

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 19:25 , Blogger Espaço do João disse...

    Meu Caro André Moa.
    Se me permite, gostaria de entrar no seu espaço. Não bati à porta, mas como temos amigos em comum, lá fui pelos conselhos da nossa querida EEL. Estava ela a ensaiar uns hi-fones ou coisa que se pareça, e entramos em conversa verbal. Conversa puxa conversa até que ela embalou e disse-me para passar pelo seu espaço. A Laurinha também já me tinha falado de si. Depois de passar os olhos pelo seu blog. apercebi-me que estava presente duma pessoa com um grau de optimismo incalculável. Muito bem, assim mesmo é que é. Dos fracos não reza a história e, o meu amigo ( permita-me )que o trate desta maneira é daqueles que antes quebrar que torcer. Todo aquele que não lutar , não vai a nenhum lugar. Eu sou daqueles que tenho um apego á vida que sou capaz de percorrer este e outro mundo para fazer companhia aqueles que coabitam comigo. O que é preciso é força e preserverança. Nada de desmoralizar, se hoje dói aqui, amanhã vai doer no outro lado, isto para dizer que enquanto o pau vai e vem folgam as costas. Eu sei que o amigo é dos duros e, é desses que precisamos. Vou contar-lhe uma que se passou comigo.
    Tive que fazer quatro By-Passes ás coronárias. O médico dáva-me 80% de êxito. Como queria era viver, acedi logo. Estava eu a entrar para o bloco operatório e, lembrei-me de perguntar ao cirurgião se quando acabasse o efeito anestésico ele estava junto de mim. Claro, estarei lá, bem como toda a minha equipa. Vou mandar-lhe abrir os olhos, vou conversar consigo e verá que tudo correrá bem. A minha resposta foi a seguinte:-Não se preocupe professor pois se eu não abrir os olhos e não falar consigo é que tudo correu bem na mesma. O Cirurgião voltou-se para a equipa e disse o seguinte.
    Vejam só eu dei 80% de êxito a este senhor mas agora dou-lhe 100%. E não é que deu certo? Aqui me encontro fresquinho que nem uma alface. Isto já lá vão 6 anos e, de quando em quando falo com ele e digo-lhe sempre que valeu a pena, mesmo que fosse só por mais um dia.Isto como dizia o General Petáin. Vale mais um rato vivo que um herói morto. Desejo-lhe tudo do melhor e, quem sabe se um dia destes não nos encontrámos? Nem que seja em Tabuaço. Um abração simples e sincero. JOÃO

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 20:22 , Anonymous Anónimo disse...

    Amigo André

    Muita força para a prática dessas modalidades, que sem dúvida são optimas para ajudar a desenvolver uma vivência fisica nova, pois aumenta a energia vital em todo o organismo, certamente que o consaço vai ser menor, é muito agradável, além de ser um excelente método terapéutico. Nunca pratiquei, mas conheço quem pratica com regularidade,(também com um problema grave de saúde)e só diz maravilhas dessa terapia.
    Gostei do diálogo do metro, acho que foi um bom momento de reflexão e de boa disposição. Com que então "Muçulmano", a culpa é da boina.
    È DESTE MOA BATALHADOR E OPTIMISTA QUE PRECISAMOS, a vitória chegará se Moa quiser e o Mao(mé) não atrapalhar.
    Um beijo duplo
    L&L

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 22:08 , Blogger Laura disse...

    Ahhh, acho que esta energia toda, do pessoal amigo, aumentou as letras, o tamanho do blogue, e tudo isso graças ao teu (gorro)juro que sim, ó homem de Deus, cala-te boca, homem de Maomé, que andaste a fazer a esse letranço todo?
    Já viste o tamanho delas? ai Moa, afinal tu não és Muçulmano, és mais um hábil artista a manejar a pena, o picel e ainda a lingua, porque foste um autêntico Muçulmano para a senhora, porque se fosses um vulgar Português, tinha-la mandado dar uma curva e sem cerimónia, mas tu, tu, cavalheiro, Advogado, Magistrado, foste logo tratá-la com tanto respeito, que!...
    olha os comentadores, são como grãos d emilho, daqui nada não haverá gaiola para tanto pássaro!...

    Aguardo-te ao serão, já passa da hora, hoje não vens, já sei que te ias cansar, sair cedinhod e casa para ires para as Artes Marciais, não, não te vou chagar a cabeça com a senhora, e, a partir de agora,senta-te direito e não feches os olhos senão ainda te aparece outra e, cadê o Moa? Moaaaaaaa?...
    Beijinhos, gostei de ver aqui a Luisinha linda..laura

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 23:02 , Blogger Andre Moa disse...

    Querida Laurinha, tu aguenta-te e não sejas bombeira, não vás apagar com tanta água quente a fogueira da lareira.Ehhhehhh!
    Querida São, acredita que eu gostei da conversata a metro no Metro, por isso fui lançando achas para a fogueira.
    Querida Verdinha, como escapar à religião numa comunidade tão "religiosa"? Como escapar à religião se a religião nos bate na cabeça que nem camartelo em muro a derrubar, desde o berço à tumba?? Eu à religião escapo, a todas, só não fujo à discussão da questão religiosa, que é uma questão social de peso e que me ingteressa discutir. Tal como a política, não obstante não ser político engajado a nada nem a ninguém. A não ser,evidentemente, quer no aspecto religioso, quer no aspecto político, às minhas convicções, ao estudo e à reflexão que me merecem estes como outros assuntos tão prementes na nossa sociedade. Podes chamar-me como quiseres, desde que com a voz do coração, como é costume nesta nossa casa.
    Cara Maria, obrigado pelo alerta. Não, reiki ainda não experimentei. Vou reservá-lo para segundas núpcias, que eu já nem tempo tenho para me coçar. O que vale é que sou pouco dado a comichões, muito principalnente a comichões de alma.
    Quanto à propensão da mulher para fazer perguntas, direi que gostei. Eu gosto muito de meter conversa mesmo com pessoas que nunca vi e que muito provavelmente nunca mais irei ver. Quando não é a mulher a fazer perguntas, avanço eu. Deve ser o meu gene X (a parte feminina que qualquer homem que se preze possui) em acção. Quem abriu o diálogo, se bem repararem, fui eu, com aquele sorriso inicial, mal os olhares se cruzaram.O meu sorriso funcionou como uma zagua, um convite à valsa. Ela aceitou o convite e bailámos. E mais não dançámos, porque o Metro é, como sabes, um transporte rápido e só faltava uma paragem para me apear. Senão, iríamos ter conversa para dar e durar, já que havia muito pano para mangas.
    Como também sou mais propenso a fazer perguntas que a dar respostas, apenas te vou rsponder à última: sinto-me bem. Passo grande parte do meu tempo a correr para a sanita e para o bidé e chuveiro, mas sinto-me bem. Muito bem. Principalmente depois de lavadinho e perfumado. Segundo o naturista (o meu tratador), estou numa de depuração, de desintoxicação, pelo que considera bom sinal as frequentes descargas intestinais.
    Cara Ell,rir ainda é a grande terapia da Vida. Por isso, não me custa reconhecer que me fez muito melhor o diálogo com a senhora do que os exercícios digitais que o provocou. Tive sorte, de facto. Olha se a senhora me mandava meter os dedos em algum lugar apertado e pouco recomendado!
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 23:03 , Blogger Andre Moa disse...

    Querida DAD, tu sabes bem que não só não fujo como gosto dos diálogos inter-religiosos. Gostaria mesmo, como também sabes há muito, de participar nessas conversatas, nessas trocas de ideias. Só que os religiosos, de uma maneira geral, não admitem no seu seio ateus. No fundo (esta é a minha leitura subjectiva e, se calhar, tendenciosa, mas penso que não andará muito longe da verdade)temem o confronto livre, aberto e sem peias de ideias.
    Caro João, já fui ao espaço do João agradecer tão honrosa visita, mas aqui, neste nosso cantinho, é que me sinto desinibido e à vontade para dialogar franca e lealmente. E sempre (conditio sine qua non)com muita amizade e abertura de espírito e com espírito de encaixe, isto é, de aceitação da diferença, de tolerância pelas ideias dos outros. Sê bem-vindo a esta nossa casa, logo também tua. E, já agora, um convite, que é uma "exigência": entre amigos, só se tolera um tratamento: o tratamento por tu. Não achas? Um abraço,amigo João, até ao próximo "encontrão". Em, Tabuaço, pois então. Porque não?
    Excelentíssimos membros da confraria L&L,
    Acuso a recepção da simpática mensagem que Vexas tão amavelmente me enviaram, de que muito gostei, e que muito agradeço.
    Quanto ao conteúdo central do vosso simpático recado, apenas poderei confirmar o que adiantam, depois de muito dar ao dedo. Comecei apenas há seis dias e a terapia deve manter-se por 100 dias consecutivos, no mínimo.
    Será que existe o produto por vós tão precisado e propagandeado? Desconfio bem que não. Mas, se por acaso o descobrirem no mercado, comprem, que deve ser bem raro e precioso. «As coiss mais raras são as mais preciosas», como deixou dito Guerra Junqueiro no seu «Musa em Férias». E se encontrarem no mercado eme puderem ceder uma provazita, uma pitada que seja, ficar-vos-ei muito grato para o resto da vida. É que, por aqui, nunca ouvi falar desse tal produto louco. Moa batalhador? Não conheço. Ou se conheço, esqueço, que não mereço.
    Apresento A Vexas os meus respeitosos cumprimentos e um abraço muito sentido que, se mo permitem, estendo ao resto da comitiva.
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 23:12 , Blogger Kim disse...

    Grande amigo
    Se a montanha não vem a Moa(mé), Moa(mé) vai à montanha.
    Também podias ter dito à senhora que o teu exercício se tratava duma invocção ao Ernesto "Che".
    É sempre assim quando a Sierra Maestra da nossa vida alberga os que têm fé e acreditam que amanhã é outro dia.
    Estou a imaginar-te, qual louco vanguardista do Quartier Latin, cantado por um copo e bebendo por um microfone.
    Acredita amigo que estarei sempre à tua espera, ainda que ... lá longe, ao cair da tarde!
    Abraço amigo

     
  • Às 28 de janeiro de 2010 às 23:59 , Blogger Andre Moa disse...

    Prefiro-te aqui bem perto
    bem juntinho ao pé de mim,
    com o coração aberto
    p'ra te receber, ó Kim.

    Um abraço muito amigo
    André Moa

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 00:22 , Blogger Laura disse...

    Longe, lá longe, ao cair da tarde, bate uma saudade! quero ouvir-te de novo ó Moa, quero estar ali a ler-te a beber as palavars da tua boca, ah quanta saudade tenho de ti, mesmo falando todos os dias, quase, quase todos...é tão lindo o amor quando se sente assim!... Beijinhos a todos, porque todos são meus amigos também!...

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 08:58 , Blogger Laura disse...

    Kim, verso tão lindo para trazer junto do coração! e que bom que é assim, como é bela a ternura, amizade o carinho e até o amor, porque em primeiro de tudo é o amor que faz a sua parte, depois o resto, e, viva a vida, viva a força e a coragem na vida do nosso Moa (ai Moa nem que queiras, já és nosso)jamais assinaremos qualquer papel para te livrares de nós! fora os ciumes da carolina, aquela carolina sem pernas de jeito, ah, (amo-te Moa)!

    Beijinho da laura.

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 13:04 , Blogger Osvaldo disse...

    Caro irmão;

    Isso de te imaginarem de rabo pro ar, só me faltava essa!...
    Que raio vem a ser isso de já que não és Cristão quererem te impingir o Islamismo?!...
    Mudar por mudar, continua ateu e a mulher que te interpelou continua atua!!!
    Bom, que tal em Maio darmos um salto à Quinta da Carolina e levarmos uma bola de carne da Tulipa pra ser "comida" no Moinho das Poldras com os nossos amigos João e Dona Rosa?... antes de seguirmos pro restaurante do Thomas????....
    E claro, depois sempre nos sobra a água da nossa fonte para curarmos as "maleitas".

    Bom, um abraço e bjs em casa.
    Ahhh, como vai a Dona Olímpia?... dá-lhe um beijinho por mim.

    Osvaldo

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 16:20 , Blogger Laura disse...

    Maioooooooooooooooooooo? ahhh, Osvaldo, eu fiquei de fora mas não me deixo ficar, ahhh, eu faço a bola, logo tenho de a levar e até vos aturo a falar da esgraçadinha da carolina, se não há mais remédio...Eu não ir áquele lugar abençoado? Já agora, eu fico na Moa a beber água enquanto vós ides jantar...não é lá que está escrito que aquela fonte mais bebemos mais amor nos envia, ora, fico ali sentada não vá ele passar e nem o vejo, nánáninanão, desta vez não saio do lugar!...
    Beijinho da laura...

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 18:55 , Blogger Laura disse...

    Thomas Egger, ora pois, também já o conheço!...

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 19:36 , Blogger Andre Moa disse...

    Caro irmão Osvaldo,
    Em Maio? Contigo? Fonte da Moa? Quinta da Carolina? Bola de carne? Moinho das Poldras? Amigos João e Rosa? Tábua D'Aço? Thomas? É para já!
    Estamos nos finais de Abril, não estamos? Diz-me que sim, senão eu desespero de tanto ter de esperar.
    A Dona Olímpia, senhor minha mãe, por acaso hoje está cá em casa. Apreciou muito o teu beijinho e envia-te dois. Está razoável, para a idade. A começar a quebrar, mas bem bom. Quando nos encontrarmos em Maio na nossa terra, já ela terá feito os noventa. Bonita idade. E lúcida como ninguém. Uma memória de invejar. Só os movimentos é que começam a ficar presos. Mas bem bom.Não se pode ter tudo, não é?
    Um abração.
    André Moa

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 19:55 , Blogger Espaço do João disse...

    Meu Caro Amigo André Moa.
    Quem sou eu para tratar tão insigne pessoa por tu? Entrei em vossa casa sem pedir licença e, confesso que já foi um atrevimento. Espero que a fonte de Tabuaço tenha sempre água pura para lavar meus neurónios. Eu sou um simples analfabeto, cometo muitos erros , no entanto faço todos os possíveis para chegar até amanhã. A vida é bela, vamos disfrutá-la conforme nos proporcionar. Para estar aqui e agora, tive uma madrinha que me incentivou a criar um blog. È minha conterrânea e, já tive o grato prazer de a conhecer pessoalmente. Possui dois blogs. qual deles o melhor. Aconselho (se me permite) a pesquisar "Amor sem Medo" de Anete Marques Joaquim, ou mesmo Jardim de Pedra da mesma autora. Ao passarmos pelo primeiro blog. passamos a conhecer a pessoa em si, tal qual ela é. Amiga do seu amigo. Coração de chocolate que se derrete nas palavras que saiem de sua boca.Alma pura e genuína, onde a sinceridade transborda. Como o nosso apego á vida é mais que muito, desejo-lhe um até amanhã. Bem já me esquecia; que gosto pelo melodioso José Afonso... Tive o grato prazer de o conhecer em vida e, conviver algumas horas com ele. Bela homenagem. Por aqui ficamos hoje e,... até amanhã.

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 22:32 , Blogger Je Vois la Vie en Vert disse...

    A Laurinha faz a bola e eu levo-a ! Posso fazer baby-sitting e tomar conta da Carolina.
    Tratarei dela como se fosse minha filha com carinho, fazer-lhe-ei festinhas e cantar-lhe-ei canções de embalar se ela me pedir. Se ela tem calor, deixar-lhe-ei ao fresquinho, se ela tem frio, aquecer-lhe-ei. Será tratada como uma princesa !
    Por acaso em Maio, deve estar a fazer termas em S. Pedro do Sul. São poucos kms até Tabuaço ...

    Beijinhos

    Verdinha

     
  • Às 29 de janeiro de 2010 às 23:08 , Blogger Laura disse...

    Ai verdinha verdinha...

    Eu faço-a e tu leva-la
    tão simples assim
    mas se a bola era
    o meu cartão de visita
    que desculpa mais vou dar
    para me deixarem lá entrar?

    Da carolina sim
    dela podes toamr conta
    é que a desgraçada
    já me fez passar por tonta.

    S. Pedro do Sul
    é lá pertinho?
    olha que nem sabia
    assim juntas-te a nós
    ao cantar da cotovia!

    beijinho da laura, ensonadaaaaa...

     
  • Às 30 de janeiro de 2010 às 12:22 , Blogger laura disse...

    Fui às meninas do restaurante onde costumo ir, as meninas que quando escrevi a frase ...Fui às meninas ...houve quem me chamasse a atenção! xi, levaram-me para outra banda...queria dizer que ia às meninas do restaurante onde vou quase todos os sábados, tomar a cevadinha, elas lêem a minha poesia, falo de vós e desta vez levei as capas dos CD dos passeios Tabuaço e Parede! Credo; ouve o que elas disseram; Ai que homem lindo, que figura, que par bonito, roupa igual, ahhhh mas que maravilha, deixei lá o filme de Tabuaço, e da próxima deixo o da Parede, pois vejo-o todos os dias aos bocadinhos. Sinto-me mais próxima de vós!
    Agora vou com a Neide á minha mãe, almoçar, ela quer que vá com ela, de tarde irei à Getta e tá o dia passado! à noite aparece para as nossas horas de amor! Haja quem me saiba ler! porque é amor que sinto pelas horas lindas ao lado da estrelinha e de ti, nosso amigo querido. Nunca me faltes Moa. Não falhes, esperarei por ti todos os dias!Até depois dos outros dias. Tens de vir, sentar-te ali e falar connosco, tão simples assim!
    Abraço apertadinho da laura

     
  • Às 30 de janeiro de 2010 às 23:18 , Blogger Laura disse...

    Eh, acabamos de falar no nosso serão à janela do pc, eu, tu e estrelinha, ainda não tinhas vindo cá, e..aqui está, apareceste como sempre, e brincamos com as palavras, é magia o nosso serão, é amizade, é amor, é paz, ternura. Tão bom que seja assim!
    Beijinhos Moa, dorme bem, já passa da hora de ires nanar, o homem do tai chi ou do tai chá, recomendou-te caminha às 22 e ainda andas por aí...ai, ai e ai..laura

     
  • Às 31 de janeiro de 2010 às 10:23 , Blogger Espaço do João disse...

    Caro Moa.
    Esta laura, já não é moça dos nossos tempos.Põe-se á janela para que nós não possamos ver as chouriças e o resto do fumeiro. Está tramada, pois logo que se proporcione eu ir a Braga , ela tem forçosamemte de abrir a porta do fumeiro, e ainda por cima um garrafão daquele carrasção que deixa rasto na malga ou no copo e, verá quem canta melhor o fado. Se eu não cantar o fado melhor do que ela , obrigala-ei a cantar e dançar o bailinho da Madeira. Caro Moa :- Um feliz fim de semana e, aquele abração que se há-de prolongar por muitos r duradoiros anos.

     
  • Às 31 de janeiro de 2010 às 13:46 , Blogger Laura disse...

    João! Ai não que não sou moça dos vossos tempos, sou uma nina no explendor da vida, cerzida em favos de mel, bordada a oiro, pérolas e marfim,(isso queria eu néra? ahhhh) senhora de muita cabeça,de coração de xisto, o xisto das terras dos grandes Homens, Osvaldo, Moa e o Dr Fernando Nobre!...Mas, falando a sério, sou a laura apenas e tão somente, que gosta dos seus amigos e lhes deseja o melhor,sempre o melhor...e sendo assim que todos estejam bem, são os meus desejos...em saúde, paz, amor, prosperidade!
    Moa, os erão espera por ti numa palavra de amor!...laura

     
  • Às 31 de janeiro de 2010 às 19:05 , Anonymous sofia disse...

    olá!
    tenho passado aqui , tenho lido...e tenho gostado...!

    desejo-lhe muita força nesta luta...que sairá vencedor concerteza!!!
    Deus que olha por todos vai olhar por si também, ainda que não acredite Nele!!

    boa recuperação ,e tudo de bom para si e para os seus!!

    kiss
    sofia

     
  • Às 31 de janeiro de 2010 às 19:06 , Blogger Andre Moa disse...

    Obrigado, amigos, pelos votos formulados, pelo apoio incondicional que de vós venho recebendo.
    Agora que me desconverti do islamismo a que nunca pertenci, que não me reconverti ao catolicismo a cujo sindicato pertenço desde a tenra idade de um mês e sete dias, por iniciativa dos meus pais,agora que isto já está a baixar para as dezenas de visitas diárias, que tal um novo post?
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 7 de fevereiro de 2010 às 22:05 , Blogger Espaço do João disse...

    Gente dessa fibra, já é difícil encontrar. Áh quanto me lembro de quando era menino e moço de pé descalço? Sim, pois os primeiros sapatos foi quando fiz o exame da terceira classe e eram também da minha irmã. Serviam a todos, pois a sola calejada dos pés aguentava tudo. É por isso tudo, que aprecio o André Moa.Até parece que já o conheço de longa data. Caro André, até amanhã. depois logo se verá . Um abraço do tamanho do mundo.

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...