SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

domingo, 21 de março de 2010

Acabo de receber do Ernesto Leandro este poema. Porque hoje se comemora neste primeiro dia da Primavera a Poesia e a Árvore, talvez nada melhor do que os dois poetas de serviço neste blogue dedicarem um poema a todos os esteios, a todas árvores, a todos os zângãos, a todas as flores que nos visitam e connosco partilham o pão da vida
André Moa

FELICIDADE FUGAZ

Como te amo!
Perguntas-me,
Crente da minha verdade:
Se longe de ti, onde está
A felicidade?
No absoluto, em lado nenhum.
Relativizando, cada um
pode, fugazmente encontrá-la

Na magia dum amor;
Num jardim em flor:
No sorriso duma criança;
No perpetuar da esperança;
Na desculpa ao ofendido;
No perdão ao arrependido;
No óbolo ao mendigo;
No alerta ao perigo;
Num beijo dado a quem morre;
Num lenço dado a quem chore;
Na dignidade no sofrimento;
No calar dum lamento;
No silêncio na dor;
No dar a mão ao pecador;
Na alegria por quem nasce;
Na euforia que não mace;
Na parcimónia no prazer;
No arrebol do anoitecer;
No perdulário com quem precisa
Que dá e não avisa;
No que é rico na pobreza
Sem invejar a riqueza;
No riso de quem chora
A toda a hora;
No aplauso à nobreza
Da compreensão genuina,
Na procura da beleza
Pelo artista em surdina;
No que suporta a demora
Quando merecia o mais cedo,
No que não sente o medo,
No que se emociona e chora;
No que faz jus à amizade;
No que resiste à saudade;
No que acredita na justiça
Sofrendo na injustiça;
No que se esquece de si
Para se lembrar de ti!

Ernesto Leandro

O RENASCER EM MIM DA PRIMAVERA
(no dia da poesia – no dia da árvore – no dia)

Setenta anos a amanhar
Terra e papel
A lavrar
Com tinta e suor
Penedias matagais
E sei eu lá bem que mais
A plantar árvores
A cultivar flores
A regar amores
A semear
A esperar para ver
Um pau seco florir
Um zangão a zumbir
No gineceu de uma açucena
Donde irão sair
Filhos que nos farão
Chorar e rir
Netos a nascer
E nós
Neles
Com eles
Por eles
E para eles
A crescer
A renascer
A recusar morrer
Antes de ter
De ter que ser

O pior da morte
É esperar por ela
Por isso eu pela morte
Nunca espero
A mim o que me importa é
Viver.

Tenho filhos tenho um neto
Plantei árvores a eito
Escrevi livros a rodos
Sofri por mim e por todos
Só não vivi quanto quis.
Será, Vida, que eu já fiz
Jus a viver?
É só o que me falta
E resta
Viver em festa
Viver viver viver
Cantar sofrer
Plantar árvores
Escrever quimeras
Até mais não poder
Até deixar de ser
Árvore Poema
Renovada Primavera.

André Moa



12 Comentários:

  • Às 21 de março de 2010 às 18:56 , Blogger Maria disse...

    Queridos André e Leandro
    Os dois poemas são tão lindos! Tão poemas! Como é bom ler-vos, sentir os vossos versos no fundo da alma, voltar a ler, tentar guardar o que ensinam de forma tão bela!
    Eu amo a poesia. Trago-a guardada no peito, nos olhos que a buscam sem cessar. Todos os verdadeiros poetas me inspiram ternura, esperança. Ai não parem, por favor, ou morro à míngua de alimento para o meu espiríto atribulado. Venham mais. Quero ler-vos até ao fim da minha vida, meus poetas, meus heróis.
    Beijos para os dois da
    Maria

     
  • Às 21 de março de 2010 às 19:34 , Anonymous DAD disse...

    UauH! Isto hoje promete! Que belíssimos poemas dos dois amigos poetas!

    Gostei muito de um e de outro!
    Parabéns aos dois e beijinho da,

     
  • Às 21 de março de 2010 às 19:36 , Blogger Paixão Lima disse...

    O dia da Poesia, o dia dos poetas André Moa e Ernesto Leandro. Felicidade Fugaz e O Renascer Em Mim Da Primavera, são dois estilos poéticos, duas expressões artísticas diferentes mas convergentes no pulsar da arte de escrever em verso. Dois belos poemas. Uma linda prenda para a menina Poesia, no dia do seu aniversário. E nós, que não somos poetas mas amamos a poesia, agradecemos, reconhecidos, aos poetas.
    Um grande abraço, Irmãos Poetas.

     
  • Às 21 de março de 2010 às 21:14 , Anonymous Anónimo disse...

    Amigos, Andre e Ernesto Leandro!

    Que linda poesia, tão leve, tão real e penetrante.

    Hoje também fiz poesia,porque gosto da primavera e de tudo o que esta estação promete.

    A primavera faz renascer a vida
    Numa assunção de flores
    Com todo o seu esplendor
    Busca equilibrio e amores.

    Cores e aromas fazem a diferênça
    Combinações harmoniosas são alcançadas,
    Violetas, verdes, amarelo e outras alaranjadas
    Constituem sensações, como: Intuição, espiritualidade e meditação.
    Branco, rosa, vermelho e azul turquesa
    Transmitem: Paz, afectividade e pureza.
    É a primavera que dentro de mim se refaz
    De um passado(juventude)que não volta atrás.

    Beijinhos duplos
    L&L

     
  • Às 21 de março de 2010 às 23:26 , Blogger Osvaldo disse...

    Caro irmão, caro Ernesto;

    Só poetas predestinados podem brincar com a poesia como os gatos brincam com os novelos de lã, como um actor brinca em cena, como um agricultor brinca com a terra!...

    Vocês são fantásticos e tratam a nossa maravilhosa arte literária por "tu" e ela, a literatura, orgulhosamente feliz, segue no leito das suas águas como barquinhos de papel corriam rua abaixo nos regos de água da nossa infância!...
    Obrigado aos dois; ao meu irmão pela sensibilidade poética que faz corar de felicidade as pedras de Xisto e ao Ernesto pela força de sentimentos que sempre incrementa na sua pura e agreste poesia. E quem ganha,... somos nós, que temos o privilégio e a sorte de nos "regalarmos" com o melhor que a poesia nos pode oferecer.

    Um abraço aos dois.
    Osvaldo

     
  • Às 21 de março de 2010 às 23:44 , Blogger Kim disse...

    Até deixares de ser árvore renovada.
    É exactamente esse o espírito com que os grandes homens se distinguem.
    E as árvores morrem de pé.
    Grande amigo! És um grande poeta, um grande homem, um grande amigo. Fico muito feliz por te ter por amigo
    O meu abraço é da mesma grandeza

     
  • Às 22 de março de 2010 às 00:18 , Blogger Laura disse...

    Na Primavera
    nascem flores
    renascem amores.

    Pássaros cruzam os ares
    em namoros pegados
    e fazem ninhos nos beirais.

    A natureza cobre-se de mil cores
    o céu é testemunha
    da renovação de todos os amores.

    A Primavera renova os seres
    ensina-nos a caminhar
    sobre palavras de amor.

    A saber aproveitar
    tudo o que a natureza
    nos pode ensinar!...

    Assim; viva o amor, via a cor e a alegria, o sol e o seu calor e a lua que nos alumia!...
    Beijinho da nina laura

     
  • Às 22 de março de 2010 às 00:20 , Blogger Laura disse...

    E vivam os Poetas dos dias de Primavera em alegres sinfonias de palavras...
    Laura

     
  • Às 22 de março de 2010 às 10:27 , Blogger Green Knight disse...

    Amigo Moa
    Sou mais um leitor de tanta fortuna literária, com grande destaque para a poesia.
    Atrevimento meu,classificar seja o que fôr, não é minha intenção.
    Sinto-me bem, quando o leio e já tive a oportunidade de ser presenteado pelo Moa, mais do que uma vez. conheço a excelente pessoa que é possuindo uma história de vida onde se pode aprender muito.
    Um abraço de jrom

     
  • Às 22 de março de 2010 às 13:51 , Blogger Laura disse...

    Andamos todos muito Primaveris e assim aqui deixo a minha poesia que comecei a escrever na verdinha (ambiente propício)e dali fiz um post que me fez rir e como rir é bom e um bom remédio, aqui vai, a poesia não tem riso o resto é que sim...
    e assisti ao romance de 3 pássaros a cortejar uma passarita, só visto, todos engalfinhados e cada um queria etr a primazia, já estou a ver os ninos todos a correr atrás de mim, ou a mancar ehhhh Aquele nosso abraço de sempre, laura


    Primavera doçura ansiada
    os seres convertem-se ao amor
    passarinhos ensaiam trinados
    para dar e receber amor.

    A natureza remoça
    o que se tinha ido, voltou
    os campos cobrem-se de cores mil
    e o céu fica azul anil.

    Os insectos saem para a vida
    de dentro dos seus casulos
    e das pobres e feias crisálidas
    saem asas de borboleta

    Vestidas da mais pura seda
    e fazem as suas danças
    bailando de flor em flor
    inebriando-se de amor.

    Do amor e da magia
    que só nessa estação acontecem
    é por isso que a Primavera
    trás os sons que não fenecem.

     
  • Às 22 de março de 2010 às 15:34 , Anonymous Anónimo disse...

    Sensibilizado, agradeço do coração à MARIA, DAD, PAIXÃO LIMA. L#L e OSVALDO os simpáticos e benevolentes comentários sobre o meu poema.Agradeço também, do fundo do coração, àqueles que me ignoraram. Concordo com eles.

    Um forte abraço para todos.

    Ernesto Leandro

     
  • Às 22 de março de 2010 às 19:16 , Blogger Laura disse...

    Querido Ernesto leandro, parece-me que já me tinha referido a todos nessas pequeninas palavras que copiei...

    E vivam os Poetas dos dias de Primavera em alegres sinfonias de palavras...
    Laura


    Não, não ignorei!

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...