SEJAM MUITO BEM VINDOS A ESTE BLOG!--------ENA!-- TANTOS LEITORES DO MEU BLOG QUASE DIÁRIO! ---ESTA FOTO É UMA VISTA AÉREA DA MINHA TERRA,-TABUAÇO! UM ABRAÇO PARA CADA UM DE VÓS! -ANDRÉ MOA-

quarta-feira, 17 de março de 2010

CICLO EMOÇÃO

Ernesto Leandro e Paixão Lima, aos dezassete anos de idade, em Tabuaço
Fotógrafo - André Moa

OBSTETRA

Com a cabeça toucada
E a boca mascarada,
Sou o obstetra da minha poesia.
Não quer sair,
Como costumava vir
Naturalmente.
Agarro no bisturi
E rasgo a parede da imaginação
Com a concentração
Do operador consciente;
Meto a mão na procura
De qualquer coisa;
Agarro e puxo devagar.

Absorto,
Entrego um nado morto.

Ernesto Leandro

14 Comentários:

  • Às 17 de março de 2010 às 23:44 , Blogger Kim disse...

    Quando se rasgam as paredes da imaginação, o espírito liberta-se e o impensável acontece.
    Um abraço

     
  • Às 18 de março de 2010 às 01:43 , Blogger Paixão Lima disse...

    O Ernesto Leandro não pára de surpreender-nos. Mas um reparo eu faço. O senhor obstetra enganou-se no diagnóstico. Afinal não foi um nado morto. A criança nasceu sem ajuda de ferros ou de cesariana. Foi de parto natural e sem dor. A criança nasceu feliz e perfeitinha e berrou que se fartou. A menina Poesia pariu um belo Poema.
    Parabéns ao Ernesto, grande poeta mas mau obstetra.

     
  • Às 18 de março de 2010 às 10:27 , Blogger Laura disse...

    Estava a ver que aqueles dois na foto iam fazer algo de bom com aquela idade, a idade dos sonhos, das poesias nos cafés com os amigos e os livros á espera de durarem mais um ano...
    Até faziam poesia de medicina, apre!
    Beijinho aos três da vida airada... laura

     
  • Às 18 de março de 2010 às 15:20 , Blogger Maria disse...

    Nado morto, amigo? Pois olhe que ficou com muito bom aspecto! Gostei da poesia e do significado.
    Beijinho
    Maria

     
  • Às 19 de março de 2010 às 10:52 , Anonymous DAD disse...

    Bom, os meus amigos eram uns gatões!
    Belo poema Ernesto!
    Beijinho para os dois,

     
  • Às 19 de março de 2010 às 10:56 , Anonymous DAD disse...

    Não sei o que aconteceu mas o meu comentário sumiu! Vou voltar a diser o que tinha escrito - que os meus amigos são uns gatões e que o poema do Ernesto é muito lindo!

    Beijinhos para todos os poetas que passam por aqui!

     
  • Às 19 de março de 2010 às 10:58 , Anonymous Dad disse...

    Bom, isto hoje parece dia de bruxas! Escrevo os comentários e eles não aparecem...
    vou mandar publicar o que escrevi agora para ver o que acontece...

     
  • Às 19 de março de 2010 às 11:08 , Anonymous DAD disse...

    Agora apareceram todos! O blogspot, volta e meia fica louco por poemas!
    Beijinhos a todos"

     
  • Às 19 de março de 2010 às 18:23 , Anonymous ZÉ ROQUE disse...

    Aqui estou para o cumprimentar. Tem um Blog muito bonito. Eu sou o amigo africano da Laurinha.

    Um abraço,

     
  • Às 19 de março de 2010 às 18:37 , Anonymous Marianita disse...

    Gostei do que li aqui. Lindo! Blog de amigos e para amigos. Até sempre!

     
  • Às 19 de março de 2010 às 20:26 , Blogger Andre Moa disse...

    Dad,à dúzia é mais bonito.
    Zé Roque, seja bem-vindo.
    Marianita, está dito:
    p'ra todos, amor infindo.

    Este cantinho do poeta é o reservado do blogue pra todos os amigos que queiram trocar impressões, entrar em amena e alegre cavaqueira, todos sentados à volta da lareira da amizade.

    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 20 de março de 2010 às 12:49 , Blogger Andre Moa disse...

    Quero enaltecer, até porque nunca será de mais fazê-lo, a óptima e muito apreciada colaboração do Ernesto Leandro (assim como a do Paixão Lima, claro, mas agora estamos no Ciclo Emoção); e manifestar o meu grande regozijo pela forma lhana e entusiástica com que os meus amigos, os comentadores neste nosso blogue, recebem e aplaudem os versos do Ernesto, deste meu irmão, amigo indefectível desde a infância. Nem calculam o prazer e a alegria que me causam com esta vossa atitude. Mas nem outra coisa eu esperaria, por conhecer, como conheço, a qualidade dos poemas, e saber da amizade que todos aqui continuam a verter espontaneamente, com manifesta satisfação. Vossa e minha. Não foi por acaso, nem de ânimo leve, que abri e continuarei a abrir as portas deste blogue a estes dois "compinchas".
    Abreijos
    André Moa

     
  • Às 21 de março de 2010 às 08:44 , Blogger Osvaldo disse...

    Irmão;

    Só uma pergunta;

    Por acaso esta foto não foi tirada na avenida vendo-se atrás a extinta azenha da Dona aninhas?...

    Um abraço.
    Osvaldo

     
  • Às 22 de março de 2010 às 23:23 , Blogger Andre Moa disse...

    Caro irmão Osvaldo:
    Vês como tu te lembras? Foi, claro. À direita está uma parte da azenha, entretnto demolida para abertura da chamada Variante de S. Vicente.
    Abraços.
    André Moa

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

 
Que cantan los poetas andaluces de ahora...